Mexe os lábios papá

 

Segundo um artigo publicado na revista Science, pode-se adicionar mais um prodígio à já extensa lista das capacidades extraordinárias dos bebés:

Os bebés de 4 a 6 meses conseguem distinguir idiomas (no caso deste estudo – inglês e francês) apenas pela observação de uma face a articular palavras, sem som.

Aos 8 meses, somente os bebés que vivem no seio de famílias bilingues conseguem esta proeza.

Whitney M. Weikum, uma das responsáveis do estudo, afirma que “desde muito pequenos, [os bebés] são capazes de absorver muita informação relativa à linguagem”. Para além dos sons, a informação contida nos movimentos faciais também é conferida pelos bebés.

Os resultados deste estudo revelam uma capacidade surpreendentemente precoce que os bebés têm para distinguir linguagens visualmente.

Virada para si – AXISS

Axiss - virada para si A nova cadeira Grupo 1 da Bébé Confort representa, sem duvida, uma viragem no universo das cadeiras de segurança automóvel. Graças ao seu sistema patenteado Turnosafe um simples manípulo permite rodar o assento 90º para a direita ou para a esquerda. Esta inovação resulta numa maior facilidade para instalar a criança.

A segurança não foi descurada, sendo os locais para a passagem do cinto bem indicados (através de marcas vermelhas) e tendo a cadeira um sistema de tensão do cinto autobloqueador.

O conforto da criança é garantido por um assento ergonómico e que pode ser inclinado em cinco posições.

O apoio de cabeça e o arnês são facilmente ajustáveis em altura.

Novo carrinho – STREETY

Pack Streety

A Bébé Confort lança o novo carrinho de bebé “Streety”.

É um citadino por excelência, respondendo a todas as exigências de uma vivência urbana.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:

Cabe nas malas dos carros mais pequenos.

O chassis fechado é muito compacto graças ao seu sistema telescópico. Fecha qualquer que seja a posição das rodas dianteiras (fixas ou giratórias). O Streety fechado apenas ocupa 0,08m3.

Fecho fácil e ergonómico.

Fecha-se e abre-se apenas com uma mão – prático quando se tem um bebé nos braços – e transporta-se facilmente mercê das suas duas pegas.

Conduz-se com uma só mão.

Como tem um guiador completo pode-se conduzir apenas com uma mão – prático quando se tem uma outra criança para levar pela mão.

Leve.

Chassis: 6,1 kg.

Todo equipado.

Capota e protecção contra a chuva e o mau tempo fornecidas com o carrinho.

Opção “PACK STREETY”:

Para os pais que queiram uma solução de passeio completa, a Bébé Confort propõe o “Pack Streety”: Carrinho Streety (com capota e protecção contra a chuva incluídas) + Alcofa Streety + Babycoque Streety + Saco (com muda-fraldas incluído).

Massagem Infantil

A massagem infantil é uma prática ancestral com raízes na Ásia onde se revela a importância física e espiritual atribuída ao toque por algumas culturas desta região. O toque, através da massagem, é percepcionado como sendo vital para o desenvolvimento harmonioso das crianças (e também das suas mães).

 

A massagem infantil foi popularizada na Europa e nos E.U.A pelo médico francês Frédéric Leboyer e divulgada de um modo mais sistemático por Vimala McClure.

 

Vimala McClure aprendeu as técnicas de massagem infantil num orfanato indiano onde trabalhou no início dos anos 70. No final dessa década McClure desenvolveu os primeiros programas de formação para instrutores de massagens e em 1986 fundou a International Association of Infant Massage (IAIM).

 

Têm sido realizados vários estudos que salientam vários benefícios da massagem infantil, como por exemplo: ajudar a aliviar as cólicas, aumentar o vínculo afectivo, relaxar o bebé e os pais, etc. De acordo com Tiffany Field, directora do Touch Research Institutes (TRI) do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Miami: “Os bebés ganham mais peso, dormem melhor e relacionam-se melhor com os pais. As suas ondas cerebrais indicam um maior grau de alerta e aprendem mais rapidamente.”

 

Segundo um estudo recente efectuado por uma equipa de investigadores da Universidade de Warwick, que avaliou pesquisas clínicas sobre o impacto da massagem em bebés com menos de seis meses, a massagem melhora os padrões de sono, acalma o choro, pode diminuir a presença de hormonas associadas ao stress, como o cortisol e pode melhorar a interacção entre mãe e bebé.[4]



[1] http://iaim.net

[2] http://www6.miami.edu/touch-research

[3] Psychology Today (“Touching News” – An interview with Tiffany Field, founder of Touch Research Institutes, explains why healing is all in our hands”.)

[4] Universidade de Warwick

As Beiras 02/05/2007

As Beiras 02/05/2007 (pág. 7) As Beiras 02/05/2007 (pág. 6)

Reportagem sobre as iniciativas realizadas no âmbito do evento “Alerta Global – Vídeos de Segurança Rodoviária de Todo o Mundo”.

Uma excelente reportagem de Rosette Marques, com fotografias de Gonçalo Manuel Martins, publicada no suplemento “Escolas” do Diário As Beiras em 02/05/2007.

Idi Amin e a segurança rodoviária

“[…] Seja como for, é importante levar [Idi] Amin para uma questão sem controvérsia.”

“Tipo o quê?”, perguntei eu, enquanto o Lago Vitória expandia a sua cor de esmeralda à nossa direita.

“Cintos de segurança é uma boa questão”, disse ele, “a importância dos cintos de segurança nas estradas de África.”

Foi assim que eu e Paterson acabámos a discutir a política de segurança rodoviária com Idi Amin no jardim da Cidade do Cabo.

[…] e de repente a voz estrondosa de Amin trouxe-me de volta à realidade. […]

“Como sabe, é bem verdade. A Escócia e o Uganda, ambos sofremos centenas de anos de imperialismo inglês. É por esse motivo que conto alargar a Guerra Económica aos interesses britânicos no Uganda. O que é que pensa disso?”

Paterson, no entanto, foi fiel à sua estratégia. “Excelência, como médico eu gostaria de falar sobre os acidentes de viação no Uganda. Creio que seria possível salvar muitas vidas.”

Nessa altura, Amin pousou a sandes de pepino, já meio comida, e levantou-se para se dirigir à assistência. Um gesto ao qual me habituei.

“Não haverá acidentes no novo Uganda. Já está tudo planeado. […] Este continente tem as suas próprias leis.”

“Mas, Sr. Presidente”, apelou Paterson, “a mais importante lei a ser implementada é a de tornar obrigatório o uso dos cintos de segurança no Uganda. Dessa forma, muitas vidas serão salvas.”

Uma onda percorreu a sobrancelha de Amin. “Por que é que insiste nos cintos de segurança? Cada vez que me encontro consigo, Dr. Paterson, você fala-me de cintos de segurança. No Uganda, há problemas mais prementes do que os cintos de segurança.”

Levantou-se da mesa, batendo nela com os joelhos e deixando nos copos o chá gelado a balançar. “É hora de se irem embora. Fiquei irritado com esta conversa dos cintos de segurança.”

[…] “Talvez”, dizia Paterson, no regresso, “os cintos de segurança não tenham sido lá muito boa ideia.”

Giles Foden, “O Último Rei da Escócia” [pp.188-191]. Vila Nova de Famalicão: Editorial Magnólia, 2007