A visão do recém-nascido

Apesar de os recém-nascidos terem tendência a manter os olhos fechados a maior parte do tempo, eles podem ver, reagir a mudanças de iluminação e fixar pontos de contraste. Como são muito sensíveis à luz brilhante, as pupilas estão contraídas (pequenas) para limitar a quantidade de luz que entra nos seus olhos.

A acuidade visual no recém-nascido de termo é próxima de 20/150 e alcança o nível do adulto, 20/20, cerca dos três anos de idade.

Uma das respostas mais precoces a estímulos visuais é o reconhecimento da face materna, especialmente durante a amamentação.

O bebé nasce com visão periférica (capacidade de ver para os lados) e gradualmente adquire a capacidade de focar um ponto próximo, dentro do campo visual; gosta de olhar para objectos a cerca de 20 – 30 cm de distância, em frente dele.

Muitos recém-nascidos podem ter coordenação imperfeita dos movimentos oculares e do alinhamento dos olhos nos primeiros dias ou semanas, devendo a coordenação correcta ser alcançada até cerca dos 3 meses. O desvio persistente de um dos olhos requer avaliação por oftalmologia.

A íris do recém-nascido vai sofrendo mudanças progressivas na cor, com aumento da pigmentação, nos primeiros seis meses de vida.

Não há lágrimas com o choro até aos 1-3 meses.

Às duas semanas as pupilas começam a dilatar, permitindo ver uma maior quantidade de formas de luz e escuro.

Quanto maior for o contraste de um objecto maior será a captação da sua atenção. Assim, o bebé estará mais atento às figuras brancas / pretas: faixas fortemente contrastantes, padrões axadrezados e muito em especial à face da mãe.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

2 comentários em “A visão do recém-nascido”

  1. Junto envio um pequeno artigo sobre a visão dos recém-nascidos. Se puder ajudar para acalmar a “recém-Avó” Fatinha, acho que o deve mostrar.

    Cumprimentos

    Fernando Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *