Posição de dormir do bebé

Durante muito tempo recomendou-se que os lactentes, particularmente entre o nascimento e os 4 meses de idade, deveriam dormir de barriga para baixo, pensando que seria a melhor maneira de evitar a aspiração (entrada de alimentos na traqueia) em caso de vómito.

Sabe-se agora que deitado de costas é uma posição segura, principalmente porque está relacionada com o síndroma da morte súbita, responsável por mais mortes, nos Estados Unidos, do que qualquer outra causa, durante o 1º ano de vida.

Por isso a AAP (Academia Americana de Pediatria) recomenda que os lactentes saudáveis sejam deitados de costas para dormir.

A explicação correcta da morte súbita não se sabe, mas pode estar relacionada, no lactente deitado sobre o seu estômago, com uma menor oxigenação ou uma menor eliminação de dióxido de carbono, pois o bebé nesta posição, vai respirar o mesmo ar contido numa pequena bolsa da cama, formada à volta do nariz.

Embora a posição de dormir não seja a única justificação para o sindroma da morte súbita, parece no entanto estar fortemente relacionada com ele, o que justifica a recomendação. Há, no entanto, algumas excepções.

A recomendação de deitar o bebé de costas aplica-se a todos os lactentes saudáveis, durante o 1º ano de vida, sendo particularmente importante nos primeiros 6 meses, quando a incidência do sindroma da morte súbita é maior. Também se pode deitar o bebé de lado, alternando um lado com o outro.

Desde 1992, altura em que AAP começou a recomendar esta posição para dormir, a incidência anual do sindroma da morte súbita, diminuiu mais de 50 %.

É também muito importante evitar colocar almofadas, cobertores, mantas ou mesmo brinquedos de tecidos moles, pois podem bloquear a entrada de ar, se se encostarem à face do bebé.

Deve-se evitar colocar o bebé em colchões de borracha ou muito moles, ou sofás.

Uma cama segura para um lactente deverá ter um colchão firme, coberto por um lençol.

Brinquedos moles ou peludos devem estar fora da alcofa do bebé.

A temperatura do quarto deve ser confortável, não colocando o bebé perto da saída de ar quente ou janelas abertas.

Usar uma só peça de roupa para cobrir o bebé, que deve ser dobrada por baixo do colchão e não ultrapassar o peito, para evitar o risco de cobrir a face.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

14 comentários em “Posição de dormir do bebé”

  1. Achei interessante o artigo, muitas vezes fiquei sem ter suficiente fundamentacao para justificar a escolha duma ou de outra posicão.

  2. Obrigado Vasco!
    Ficamos sempre bastante contentes quando a informação que disponibilizamos é útil para os nossos leitores.

  3. deixo aqui mais uma dúvida, além do que já existem no relacionamento com bebês; a posição de costas não levaria a um sufocamento com possíveis gofadas do bebê. a posição correta que sempre puz os meus filhos era de lado com medo de sufocamento. agradeço pela atenção, e fiquei contente de poder ter aprendido um pouco mais sobre este assunto.

  4. tenho uma duvida, como se refere no proprio texto como esta sendo analizada a aspiração nessa posição?

  5. Adorei, esta explicação, como educadora de infância interesso-me por este e por vários temas relacionados com a criança…

  6. Fico reflexiva sobre essa nova forma do bebê dormir. Criei filhos, sobrinhos e netos dormindo de bruço e nada tiveram. Agora tenho uma neta de 1 mês que não consegue dormir sem ser de bruço. Já fizemos de tudo e ela não consegue. Resultado, estamos colocando ela de bruço e ficando de plantão a noite toda observando-a para que nada aconteça. Será que as crianças que morreram não tinham algum comprometimento (não aparente) !!!!!!

  7. Vera:
    Há muito ainda por saber em relação ao Síndroma da Morte Súbita do Lactente. Todavia, ao longo dos últimos anos surgiu um consenso entre os especialistas (fundamentado em resultados estatísticos inequívocos): A posição em decúbito ventral (deitado de bruços) é um factor de risco para a Síndroma da Morte Súbita do Lactente!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *