Passear com o bebé

A alcofa, ideal para o recém-nascido.A alcofa está naturalmente adaptada ao recém-nascido porque permite deitá-lo confortavelmente de costas. De facto, o desenvolvimento muscular do bebé faz-se progressivamente da cabeça aos pés e, durante os primeiros meses, a sua nuca ainda não está musculada e portanto ainda não consegue manter a cabeça direita. A posição deitada é óptima e garante-lhe um sono de qualidade. E isto é muito importante porque o seu bebé precisa de dormir (entre 18 e 20 horas por dia) para crescer bem. A alcofa é portanto uma autêntica cama pequena que lhe permite viajar e passear com o bebé sem o acordar. O seu interior espaçoso garante uma grande liberdade de movimentos ao bebé que acorda mexendo. Esta mobilidade é essencial porque ajuda-o a sentir o seu mundo e contribui para o seu despertar.A babycoque, indispensável a partir dos 3 meses.A partir dos 3 meses, os músculos da nuca do seu bebé já estão mais fortes e consegue manter a cabeça direita. Pode permanecer em posição semi-sentada e começar a palrar, confortavelmente instalado na sua babycoque. A babycoque torna-se rapidamente num aliado indispensável do dia-a-dia. A sua forma ergonómica e a sua leveza transformam as saídas com o bebé em autênticos prazeres.O assento, a partir dos 6 meses.Sentado com firmeza, o bebé participa activamente na vida que o rodeia. Virado para os pais em determinados momentos para trocar sorrisos e olhares com eles, o bebé poderá também ser instalado virado para o mundo que o rodeia. Bem sentado no seu carrinho, observa com prazer o mundo e adormece para um descanso bem merecido numa posição ergonómica, confortável e deitada.O porta-bebé, um contacto inesquecível.Durante os primeiros meses, o bebé sente naturalmente a necessidade de sentir o contacto do pai ou da mãe. Aconchegado junto ao pai ou à mãe, o bebé sente-se reconfortado com a sua voz, a sua presença, o seu odor. O porta-bebé é também um aliado indispensável quando o bebé se sente desamparado e só os braços do pai ou da mãe o tranquilizam. Com as mãos livres, estes podem testemunhar-lhe a sua ternura e levá-lo para todo o lado.O carrinho bengala, para acompanhar o bebé nos seus primeiros passos.O bebé saboreia plenamente a liberdade adquirida ao andar. No entanto, precisa ainda de descansar após os seus esforços e, neste caso, o carrinho bengala é o parceiro ideal: ultra prático, leve e fácil de transportar, garante ao seu bebé uma posição sempre ideal.

A evolução para menos dores de costas durante a gravidez

De acordo com um novo estudo publicado na revista Nature a coluna vertebral teve uma evolução diferente nos homens e nas mulheres de modo a aliviar a pressão sobre as costas resultante do peso acrescido de transportar um bebé.

Esta diferença homem/mulher não se verifica nos chimpazés, o que leva os investigadores a concluir que esta adaptação se deveu à evolução para o bipedismo e a postura vertical.

Como se comenta no artigo do New York Times sobre esta investigação, esta “solução” não foi ideal pois as grávidas ainda se queixam de problemas nas costas. Mas de acordo com Heidi Ledford da Nature seria muito pior para um homem, chegando até a citar o comentário espirituoso de uma antropóloga da Universidade de Wisconsin, Madison: “Aconselharia todos os meus colegas homens a não ficarem grávidos.”

clipped from www.nytimes.com
Pregnant women do not tip over, and the reason has a lot to do with an evolutionary curve, researchers say.
After studying 19 pregnant subjects, Dr. Whitcome found that the lumbar, or lower back, curve in women extends across three vertebrae, as opposed to just two in men. And the connecting points between vertebrae are relatively larger in women and shaped differently in ways that make the stack more stable and less prone to shifting or breaking.
As solutions go, the extra flexibility is only partly successful, Professor Shapiro said, since women still commonly complain of back trouble during pregnancy. And that is the difference between the way that evolution works and the way that actual designers do their job, Dr. Whitcome said: nature tinkers. For natural selection to favor one feature over another, “It doesn’t have to be an ideal solution,” she said. “It just has to be better.”

  blog it