Proteger a criança dos perigos dentro de casa

Os dias estão cheios de bem disfarçados perigos para a criança: objectos agudos, mobília com arestas, jarros com água quente, fogão ligado, piscinas, ruas movimentadas…

Os adultos aprenderam a navegar tão bem neste campo minado que não pensam em coisas como tesouras ou fogões como sendo perigosas.

Para protegermos a criança dos perigos que encontra dentro e fora de casa, temos que reconhecer que ela não distingue o quente do frio, o agudo do macio.

Os acidentes são a primeira causa de morte e incapacidade em crianças até aos 15 anos de idade. Nos Estados Unidos da América, por exemplo, em cada ano, cerca de 2 milhões de crianças necessitam de cuidados médicos por acidentes; 40 a 50.000 sofrem lesões permanentes e 6.000 morrem.

Os acidentes de automóveis são, sem dúvida, os responsáveis por grande número de lesões e mortes. Mas muitas crianças morrem ou ficam lesadas pelo equipamento especificamente designado para o seu uso.

Num recente período de 12 meses, nos Estados Unidos, as quedas de cadeiras levaram 7.000 crianças ao hospital. Os brinquedos causaram mais de 200.000 acidentes, suficientemente sérios para requererem tratamento em salas de emergência hospitalar. No mesmo país, as alcofas são responsáveis por cerca de 27 mortes por ano.

Hoje sabemos que estas lesões não acontecem por acaso. Compreendendo como a criança cresce e se desenvolve e o risco de lesões em cada estadio de desenvolvimento, os pais podem tomar precauções que previnam a maior parte, se não a totalidade daqueles acidentes.

Fonte: Safety First

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *