IV Centenário do Nascimento do Padre António Vieira

«Por onde começa a natureza, há de começar a graça, a qual não é segura na idade varonil, se não trouxe as disposições desde a infância. Naquela idade tenra e branda se imprime fácil e solidamente o que na robusta e dura mais fortemente se resiste, do que se recebe. Grande caso é que Adão saindo formado das mãos de Deus, recebesse tão mal um só preceito, e não bastasse a graça em que fora criado para o observar. Mas como Deus o tinha criado na idade de Varão, não foi muito que o barro seco e duro rejeitasse o que na infância, diz S. Basílio, se recebe e imprime como em cera. Por isso o segundo Adão, não por necessidade, nem por este perigo, mas para nosso exemplo, não quis aparecer no mundo Homem, senão Menino.»

 

Padre António Vieira, Sermão “São Francisco Xavier (Acordado)”

António Vieira nasceu em Lisboa a 6 de Fevereiro de 1608, numa sexta-feira – há exactamente quatrocentos anos.

Um recital de órgão, por Paulo Bernardino, uma leitura dramatizada da Elegia de Camões “Se quando contemplamos as secretas…” e a pregação do primeiro sermão de Quarta-feira de Cinzas do Padre António Vieira, pelo actor Paulo Mira Coelho, são as iniciativas que se realizarão, na Capela da Universidade de Coimbra, no âmbito do IV Centenário do Nascimento do Padre António Vieira.

O evento tem início às 21h15, na Capela da Universidade de Coimbra, sendo promovido pelo Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e pelo Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *