Diminuir as probabilidades de nascimentos múltiplos

Lowering Odds of Multiple Births – New York Times

“No mundo complexo, caro e intensamente emocional dos tratamentos de fertilidade, os médicos estão a soar o alarme para reverter o índice altíssimo de nascimentos múltiplos.”

Desde 1980, ano em que a técnica de fertilização in vitro começou a ser utilizada nos E.U.A., a percentagem de nascimento de gémeos subiu 70%, representando em 2004 3,2% de todos os nascimentos.

Para reduzir as probabilidades de nascimento de gémeos as clínicas norte-americanas, sob recomendação da American Society of Reproductive Medicine, estão agora a aprimorar as suas técnicas, transferindo menos embriões mas utilizando técnicas mais sofisticadas para identificar os embriões mais saudáveis e com maiores hipóteses de êxito.

Essas técnicas incidem tanto sobre os embriões em si, tentando detectar potenciais anormalidades cromossómicas, como sobre certos factores na mãe que podem aumentar a plausibilidade de ter gémeos.

No entanto, segundo peritos contactados pelo New York Times, os maiores obstáculos que os médicos enfrentam para reduzir o número dos nascimentos múltiplos, prendem-se não tanto com razões médicas mas com a pressão exercida pelos próprios pacientes para obter resultados. O custo, o tempo e todas as dificuldades inerentes a este processo fazem com que muitas pessoas prefiram correr o “risco” de ter uma gravidez gemelar, desde que isso aumente a probabilidade de engravidar.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *