"Balanço negro" no Hospital Pediátrico e na Maternidade Bissaya Barreto, segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses

 

«O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses fez ontem um “balanço negro” da empresarialização do Centro Hospitalar de Coimbra. Gestão em função dos números tem tido consequências negativas, lamentam.

Um ano depois da passagem do Centro Hospitalar de Coimbra (CHC) para Entidade Pública Empresarial (EPE), Paulo Anacleto não tem “qualquer dúvida” ao afirmar que a situação está pior do que em Março de 2007. […]

Apesar de os problemas se estenderem às três unidades do CHC – Hospital Geral, Hospital Pediátrico e Maternidade Bissaya Barreto – Paulo Anacleto apontou o Pediátrico como aquele em que as carências são mais “gritantes”, faltando quase tudo: “medicamentos; material de clínico corrente (cateteres, prolongadores de soro…); vários tipos de leite e papas; fraldas; luvas e batas para os profissionais e familiares….”. […]

Além de materiais, denuncia, faltam enfermeiros nas três unidades. Segundo dados das chefias intermédias do CHC, baseados na circular normativa da Secretaria–Geral do Ministério da Saúde, faltam “33 enfermeiro no Hospital Pediátrico”, cinco deles na urgência que, afirma, “está a abarrotar”. Também na maternidade faltam “20 enfermeiros” e no Hospital Geral “várias dezenas”, acrescenta.»

Fonte: As Beiras

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *