Norma de Segurança Europeia – cadeiras de segurança automóvel

«O uso de cadeiras auto para crianças menores de três anos é da máxima importância para limitar as lesões em caso de colisão. As investigações realizadas demonstram que, sem a cadeira auto, as crianças correm mais riscos de sofrer lesões graves em comparação com as crianças que viajam numa cadeira auto.

Por isso, a Comissão Económica Europeia considera importante que as crianças estejam bem protegidas em qualquer situação de acidente. A Comissão Europeia investiga actualmente quais as medidas que poderão ser tomadas neste âmbito. As normas serão aplicáveis em todos os estados-membros da União Europeia.

À espera dos resultados desta investigação, a Comissão Europeia estabeleceu, entretanto, a seguinte directiva:

As cadeiras auto deverão ser aprovadas em conformidade com a norma de segurança europeia ECE R44/03, directiva 77/541/CEE ou alterações posteriores das mesmas.

A partir de 9 de Maio de 2009 será proibido o uso ou a venda de cadeiras auto para automóveis que não cumpram com esta directiva. Por isso, verifique a etiqueta cor-de-laranja existente na sua cadeira auto, que indica o número da aprovação.
Na prática, isto significa que as cadeiras auto com a certificação ECE R44/03 ou, ainda melhor, a ECE R44/04, cumprem com a norma. Se a sua cadeira auto apresenta o número de aprovação ECE R44/02 ou ECE R44/01, então será proibida a sua utilização. O mesmo se aplica para as cadeiras auto que tenham sido aprovadas por um Instituto Nacional e não pela Comissão Europeia.

Estas cadeiras auto são extremamente obsoletas e já não oferecem uma protecção adequada. Portanto, para a segurança do seu filho, é importante que verifique sempre a sua cadeira auto!»

Fonte: Maxi-Cosi 

Kenzo e Bébé Confort

Uma série limitada de artigos de puericultura da Bébé Confort com os tecidos exuberantes da Kenzo.

Da associação entre a Bébé Confort e a Kenzo para criar esta colecção nasceu o tema Yumiko para as meninas e o tema Kenji para os meninos. Os padrões de cores vivas e os desenhos característicos da Kenzo dão um toque especial ao universo do bebé.

Esta série limitada está disponível nos seguintes artigos:

Loola, Créatis.fix, Iséos Néo, Moby e Saco Avenue.

Os bebés percebem todas as palavras dos adultos?

«Não, as palavras que os bebés percebem são em número muito reduzido. A aprendizagem do vocabulário é, como todas as aprendizagens, gradual. E até pode identificar uma palavra e não atingir o seu sentido completo, o que, aliás, acontece mesmo com os adultos.
Mas isso não é uma razão para falar “ à bebé” ou só com diminutivos. Se falar assim o bebé vai aprender a falar “ à bebé” e só com diminutivos!
Pode usar onomatopeias: “ puncatrapum!” ou “ o vvvvvvvvvvvento!”. Se o pássaro voa, pode imitar o voo do pássaro. Experimente e vai ver que o seu filho gosta!
Pode mesmo dizer “Zarabá, Ziribi” para sugerir um momento mágico que não existe mesmo, e, uma vez por outra, pode inventar palavras. Essas palavras inventadas serão só suas e do seu filho!»

*Fonte: Porquê Ler ao Meu Bebé?, Associação de Professores de Português e Associação de Profissionais de Educação de Infância,  2004 Edições Gailivro.

Para amamentar o bebé com serenidade

• Amamente o seu bebé o mais cedo possível após o nascimento, logo na primeira hora de preferência (o reflexo de sucção é máximo nas duas primeiras horas de vida).
• Encontre a posição que respeita o seu conforto e garante também uma boa posição para o bebé (o bebé virado para o seio materno, o corpo e a cabeça bem alinhados). Pode amamentar em posição deitada.
• Propicie um ambiente favorável à amamentação (calmo, num sofá, longe do barulho).
• Esteja convencida de que o seu leite convém perfeitamente ao seu bebé: não há leite mau. Todas as mulheres produzem um leite bom, adaptado às necessidades do bebé.
• Amamente o seu bebé sempre que quiser, consoante a sua fome. Quanto mais o bebé mamar, mais leite haverá: a secreção láctea produz-se se houver saída de leite.
• Verifique se o seu bebé agarra bem o seio, se a sucção é eficaz e se o bebé obtem o leite de que precisa.
• Para não prejudicar a lactação, evite saltar mamadas, dar a chupeta ou dar outro leite antes das quatro semanas ao seu bebé.
• Não se isole em caso de dúvida ou de dificuldade. Procure ajuda de familiares, amigos ou profissionais.
• Tome o seu tempo…amamentar um bebé é também ter o ritmo de uma vida nova. Deixe de lado as tarefas secundárias e tenha a ajuda de alguém para o essencial.
• Pense em si. Descanse e relaxe para recuperar o sono inevitavelmente perdido.
• A secagem do leite faz parte do processo de amamentação. Se for progressivo, irá correr bem (quer fisicamente quer psicologicamente).

Fonte: Bébé Confort 

Uma estrela que amamenta – uma mãe

Uma campanha de marketing social em Lancashire, no Reino Unido, pretende promover os benefícios da amamentação de um modo original. Na campanha “Be a Star” as mães jovens que amamentam são apresentadas como estrelas – supermodelos, actrizes, cantoras.

O texto que acompanha as imagens é escrito do ponto de vista de alguém que possa influenciar as vidas das jovens mães – os seus pais, os seus amigos, os seus companheiros, o seu bebé.

As imagens pretendem diferenciar-se das representações mais tradicionais da mãe a amamentar e distanciar-se de um enfoque exclusivo nas “técnicas” de amamentação. Os organizadores desta campanha identificaram barreiras que se colocam à amamentação devido a atitudes e percepções culturais. A campanha pretende induzir confiança e orgulho a quem opta por amamentar. As mamãs nas fotografias aparecem em vestidos de alta-costura e penteados elaborados, parecendo estrelas de Hollywood ou famosas cantoras de rock mas são “apenas” mães a amamentar.

Fontes: Guardian e Be a Star

Grávidas reclamam epidural disponível 24 horas por dia no Hospital de Leiria

«Três semanas após a entrega do abaixo-assinado com 1.650 assinaturas exigindo partos sem dor, a anestesia epidural no Hospital de Leiria continua a não estar garantida 24 horas por dia.

[…] Em causa está a decisão da administração do Hospital de Santo André de restringir a anestesia epidural a apenas partos que representam “casos excepcionais”, o que provocou, no início do corrente ano, o descontentamento de dezenas de grávidas e respectivas famílias. Tal facto levou a que tivesse sido colocado a circular na cidade de Leiria e na Internet um abaixo-assinado com o objectivo de pressionar a Administração do Hospital Santo André a recuar na ordem interna que determinava que a injecção epidural só fosse administrada às parturientes, se tal se justificasse por questões de saúde.
[…] Fonte da unidade de saúde adiantou que, entretanto, a injecção que permite o parto sem dor voltou a ser ministrada durante o período diurno, entre as 08H00 e as 20H00, tal como ocorria até ao final do ano passado, de acordo com o horário dos médicos anestesistas. […]
Para Sandra Cadima, primeira subscritora do abaixo-assinado, esta recolha é um “acto de indignação” dos utentes, que reclamam a medida para minimizar a dor das parturientes. A cerca de uma semana de ser mãe pela segunda vez, Sandra considerou ontem que, “se o Ministério da Saúde anda a fechar tantas maternidades, ao menos que as que ficam sejam dotadas de todas as condições”.
“Embora o parto seja uma experiência natural que muitas mulheres podem viver sem medicação, este não tem de ser uma prova de força ou resistência” e a “epidural permite a minimização da sensação de dor” no “trabalho de parto sem prejudicar a capacidade motora da parturiente”, ressalva o documento. A verdade é que há algumas mulheres grávidas residentes na área de influência do Hospital Santo André continuam a colocar a hipótese de terem os filhos nas maternidades de Coimbra, onde a epidural já entrou na rotina.»

 

Fonte: As  Beiras