Nascer para – e com – a música

«O feto ouve desde muito cedo. A voz da mãe é o primeiro som a ser conhecido e pode dizer-se que é música para os seus ouvidos. […] O debate em torno do tema “Intervenção Cardíaca Fetal”, que decorreu na última sexta-feira em Coimbra, juntou especialistas nacionais e internacionais em várias áreas.

[…] Coube ao maestro Virgílio Caseiro falar sobre a música no bem-estar do coração fetal. “O mais importante, qualquer que seja o estilo, o ritmo, o volume ou o momento, é o facto de a música nos transmitir alguma coisa, disse o maestro. Assim, uma emoção, uma memória, um desejo ou até um sentimento “vale também para os bebés, incluindo os que ainda não nasceram”, acrescentou.»

Fonte: Diário As Beiras (texto de Raquel Mesquita).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *