Nomes: Género, Etnicidade e Família

moz-screenshot-1«”O conhecimento dos nomes não é negócio de importância somenos,” disse Sócrates. Nos nossos nomes está imersa a história de cada um mas essa história alarga-se, em círculos, muito para além de nós mesmos. É que “nomear também é acção”: apelando e sendo apelado, a pessoa torna-se um ser auto-identificado responsabilizável.
Esta recolha de ensaios sobre os nomes em português dedica-se a explorar a ética dos nomes, isto é, o encadeamento afectivo que subjaz ao reconhecimento identitário das pessoas. Como é que o nome atribui ligações básicas às pessoas (através da perfilhação)? Como é que o nome faz família? Como é que o nome estabelece género? Como é que o uso do nome remete para a identidade étnica (raça, etnicidade, etc.)? Como é que o nome veicula imagens dominantes sobre o valor da pessoa (consumo mediático, etc.)? Como é que o anonimato pode ser um factor de subalternidade ou mesmo, de repente, um factor terapêutico? As especificidades da tradição nominativa lusófona, que a demarcam de outras, não tinham recebido a atenção que merecem. Este livro abre novas perspectivas teóricas no estudo da pessoa mas também revela a importância que os nomes têm nas mais diversas áreas do comportamento sociocultural.»

Fonte: Editora Almedina

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *