Incentivos à natalidade em Trás-os-Montes

«Os autarcas trasmontanos tentam a todo custo preservar população na região, que, desde a década de 60, já perdeu cerca de 150 mil habitantes. Os incentivos à natalidade crescem e o valor atribuído também.

A Câmara de Vimioso foi a primeira Autarquia do país a premiar financeiramente quem decide ter filhos na terra. E são cada vez mais os municípios a aderir à iniciativa. A parada está a aumentar. Enquanto Vimioso atribuiu um subsídio de 500 euros por cada bebé que nasça no concelho, a freguesia de Lamas de Olo, em Vila real, subiu a fasquia até aos mil euros e uma mensalidade de 100 euros até as crianças fazerem 10 anos.

Há seis anos que a Câmara de Vimioso decidiu atribuir o apoio monetário aos casais que tenham filhos, desde então já foram entregues cerca de 80 mil euros e, mais importante do que qualquer verba monetária, já nasceram perto de 150 crianças. […]

Também as câmaras de Carrazeda de Ansiães e de Murça avançaram para os apoios à natalidade. A primeira dá 7500 euros aos casais até aos 35 anos que tenham o terceiro filho, e a segunda atribui 750 euros por cada nascimento. As juntas de freguesias de Provezende (em Sabrosa) e Arroio (em Vila Real) subsidiam com 250 euros cada nascimento.»

Fonte: Jornal de Notícias, 01/09/2008

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *