Cinco bebés deram boas-vindas ao novo ano em Coimbra

Nas primeiras horas de 2009, nasceram quatro bebés na Maternidade Bissaya Barreto.
Na Daniel de Matos,a madrugada foi mais calma: nasceu apenas a Maria Inês.

Maternidade Bissaya Barreto, 1h48 da madrugada. O pequeno André Filipe anunciava a sua chegada com o choro mais esperado. Depois de pouco mais de três horas de trabalho de parto, Elizabete Rodrigues respirou de alívio e deu as boas-vindas a 2009 da melhor forma, saudando os três quilos do seu bebé, que vem fazer companhia ao mano de cinco anos.
Aliás, nesta família de Ansião, os meninos reinam. Aos dois de Elizabete, há a acrescentar dois primos, um deles também ainda bebé, que quiseram ser os primeiros a ver o mais novo elemento do “clã”, que, é, nem mais nem menos, do que o primeiro bebé de 2009 a nascer no distrito de Coimbra. Antecipou-se em dois dias à data prevista, conta a mãe ao Diário de Coimbra, enquanto muda a fralda do primeiro “cocó” do recém-nascido.
Elizabete, operária fabril, e Joaquim, pedreiro, não podiam estar mais felizes com o bebé, mas, ao que parece, já não pensam em tentar a menina. Afinal, a crise toca a todos.
Mesmo na cama ao lado, vivia-se a alegria da maternidade pela primeira vez. Também de parto normal, às 5h45, nascia o Tomás, o segundo dos quatro bebés a nascer na Maternidade Bissaya Barreto nas primeiras horas do novo ano.
Com 3.260 gramas, Tomás é o primeiro filho de Fátima, técnica administrativa, e Nuno, operador de máquinas, residentes em S. Martinho do Bispo. Previsto para 12 de Janeiro, decidiu antecipar-se e, quando faltavam poucos minutos para a meia-noite, a mãe teve mesmo de dar entrada na urgência e despedir-se do ano de 2008 em trabalho de parto. Nada que tenha desgostado os pais: «É um dia bonito. É para começar bem o ano», adianta Nuno ao Diário de Coimbra, enquanto a enternecida avó recorda que no primeiro dia de Janeiro se celebra a Paz.

Só um bebé na Daniel de Matos
Se na Maternidade Bissaya Barreto, a madrugada foi agitada, o mesmo não se pode dizer na Maternidade Dr. Daniel de Matos. Ao longo da madrugada, a pequena Maria Inês foi a única que decidiu vir ao mundo. Com 2,790 gramas, é a segunda filha do casal de Oliveira do Hospital e revelou-se um verdadeiro “relógio”, já que no dia 31 de Dezembro, a mãe Célia, completava as 40 semanas de gestação.
Ontem, pouco depois da hora de almoço, já nem parecia que tinha passado por um trabalho de parto «complicado». Célia Pires, de 30 anos, deu entrada na maternidade ainda no dia 30, mas só no último dia de 2008 entrou em trabalho de parto.
Um processo completamente diferente do do seu primeiro filho, o Diogo de três anos, que nasceu de cesariana e sem que a mãe chegasse a sentir as dores das contracções. «Esta é como se fosse o primeiro», conta.
Distintos parecem também os feitios de Maria Inês e do mano Diogo. «Ele é muito traquinas», enquanto ela, pelo menos, no primeiro dia de vida, «é muito sossegadinha, só a vi chorar uma vez», acrescenta a mãe.
Célia sempre achou que o dia de Natal e do de Ano Novo não eram os ideais para ter filhos, «porque já são tantas festas», no entanto, a chegada da sua Maria Inês fê-la mudar de ideias. E quando se ouve em todo o lado que 2009 vai ser um ano difícil, ainda pior do que 2008, esta mãe só pensa positivo. «Comecei bem o ano», conclui orgulhosa, com a filha ao colo.»”

Fonte: Diário de Coimbra

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *