Alerta para os riscos do uso excessivo da televisão

«”A televisão funciona como uma babysitter. É ela que toma conta da criança e a entretém.” O alerta para os riscos do uso excessivo da televisão é da pediatra Fátima Pinto, autora de um estudo que analisou o comportamento televisivo de 106 crianças no Porto […] e conclui que estas vêem muita TV desde cedo, muitas antes dos dos 24 meses. Uma situação que leva a médica a avisar: ” É completamente contra-indicada a exposição televisiva antes dos dois anos.”

É que ver demasiada televisão compromete as capacidades de comunicação das crianças, de interacção e aumenta a tendência para a obesidade e para os comportamentos agressivos. Atendendo aos dados de medição de audiência da Marktest, as crianças portuguesas passam três horas por dia em frente ao ecrã. “Uma média de consumo televisivo alta e um pouco acima da média europeia”, alerta a socióloga Sara Pereira.

A neuropediatra Maria José Fonseca, por seu lado, lembra que “a Academia Americana de Pediatria não recomenda TV antes dos dois anos e depois dessa idade indica uma ou duas horas de exposição diária a programas de qualidade”.

Em Portugal, os médicos também não aconselham que antes dos dois anos as crianças vejam televisão. E se o fizerem, “nunca por períodos superiores a cerca de 20 minutos”, diz o pediatra Mário Cordeiro. Maria José Fonseca acrescenta que é essencial que “os pais tenham controlo sobre o tempo de exposição, o tipo de programas e sempre que possível vejam esses programas com os filhos”. […]»

Fonte: ANA BELA FERREIRA, “Televisão é perigosa para bebés com menos de dois anos”, DN, 24 de Maio de 2009

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *