A equação da segurança para a Bébé Confort

«Três pessoas, uma catapulta, dez crash test por dia… É esta a equação da segurança para este fabricante [Bébé Confort].

Neste armazém […] a instalação é de “alta tecnologia”.

As cadeiras de criança esperam pacientemente a sua vez nas prateleiras. Em baixo, a famosa catapulta, utilizada para os crash test. Três pessoas trabalham com a catapulta todo o dia, a um ritmo de cerca de dez crash test diários!

Esta manhã, um chassis de um Opel Astra alberga uma cadeira de criança, que será testada frontalmente a 71,33 km/h, ou seja, a uma velocidade muito acima do limiar necessário para a homologação. Quando o teste é executado, não há tempo para fechar as pálpebras.

O carro já está no outro extremo do local! A cadeira e o manequim “passageiro” foram submetidos à colisão, mas todas as configurações parecem estar bem aos olhos dos especialistas. Para nós, simples leigos, é impressionante!

“Recomenda-se a instalação, tanto quanto possível, da criança de costas para a estrada. Existe um verdadeiro problema de aceitação social para tal. Além disso, os veículos não são necessariamente grandes o suficiente ou os cintos não têm o comprimento suficiente …” explica François Renaudin, o incansável chefe de pesquisa para a Bébé Confort.

Segundo ele, são necessários três anos para o desenvolvimento de uma cadeira de criança. “Uma cadeira bem conseguida deve ser desenvolvida desde o início em colaboração entre as pessoas do marketing e os designers adverte François Renaudin, mas depois, os parâmetros relacionados com a segurança são completamente irrevogáveis.”  François Renaudin participa no grupo de trabalho responsável pela elaboração da nova regulamentação.

[…] Quanto aos “testes de consumidor” e aos seus procedimentos «caseiros», François Renaudin não lhes concede mais do que um valor relativo: “A sua colisão frontal tem lugar a 72 km/h. Mas não existe um protocolo escrito sobre esta matéria!! No entanto, estes testes têm o mérito de existir, mesmo se não têm todos justificação quanto à realidade das lesões” admite…»

Fonte: “Chez Bébé Confort, on a la catapulte facile!”, L’Argus, 22 de Maio de 2009.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *