Ondas de calor – Recomendações para a população da Direcção Geral de Saúde

«Para a prevenção dos efeitos do calor recomendam-se as seguintes medidas:

– Aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede. 
– As pessoas que sofram de doença crónica, ou que estejam a fazer uma dieta com pouco sal,  ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se com o seu médico, ou contactar o Serviço Saúde 24: 808 24 24 24 
– Evitar bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar.
– Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes, podem não sentir, ou não manifestar sede, pelo que são particularmente vulneráveis – ofereça-lhes água e esteja atento e vigilante.
– Devem fazer-se refeições leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas.
– Permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado, pode evitar as consequências nefastas do calor, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Se não dispõe de ar condicionado, visite centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais que disponham de ar condicionado. Evite as mudanças bruscas de temperatura. Informe-se sobre a existência de  locais de “abrigo climatizados” perto de si.
– No período de maior calor, tome um duche de água tépida ou fria. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças).
– Evite a exposição directa ao sol, em especial entre as 11h e as 16 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, use um protector solar, com um índice de protecção elevdo (superior a 30). 
– Sempre que andem ao ar livre, crianças e pessoas de pele clara, devem usar chapéu, de preferência de abas largas e óculos escuros.
Evite a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas; Leve água suficiente ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar, para a viagem, ou pare para os beber. Sempre que possível viaje de noite.
– Nunca deixe crianças, doentes ou pessoas idosas dentro de veículos expostos ao sol. 
– Sempre que possível, diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.
– Use roupa solta, de preferência de algodão e em conformidade com a Circular Informativa nº 21/DA/08 de 07/08/2008
– Use menos roupa na cama, sobretudo nos bebés e doentes acamados.
– Evite que o calor entre dentro das habitações. Corra as persianas, ou portadas e mantenha o ar circulante dentro de casa. Abrir janelas durante a noite pode ajudar a diminuir a temperatura dentro de casa
– Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou a um vizinho no caso de se sentir mal com o calor.
– Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas, frágeis ou  com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor.
– As pessoas idosas e os bebés não devem ir à praia nos dias de grande calor. As radiações solares podem provocar queimaduras da pele, mesmo debaixo de um chapéu de sol; a água do mar também reflecte os raios solares e não evita as queimaduras solares das zonas expostas. As queimaduras solares diminuem a capacidade da pele para arrefecer. 
– Evite actividades que exijam esforço físico.»

Nota: sublinhados nossos

Fonte: “Ondas de Calor – Recomendações”, Direcção-Geral de Saúde

Síndroma de Morte Súbita do Lactente – recomendações da Sociedade Portuguesa de Pediatria

A Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP) e a a Secção de Neonatologia da SPP actualizou e reviu este ano (2009) a sua proposta de consenso para a redução do risco da Síndroma da Morte Súbita do Lactente.

Segundo a SPP a Síndroma de Morte Súbita do Lactente (SMSL) «é a morte súbita e sem explicação de um bebé durante o primeiro ano de vida. É uma situação assustadora porque acontece sem aviso prévio num bebé aparentemente saudável. A maioria dos casos está associada ao sono e por isso é conhecida como “morte no berço”.»

«[…] A ocorrência de morte súbita é rara no primeiro mês de vida, aumenta até um valor máximo entre os 2 e os 4 meses e cerca de 95% dos casos surgem antes dos 6 meses de idade. […] Um estudo retrospectivo português mostrou um aumento do número de casos de 1974 a 1990, com decréscimo a partir de 1992. Verificou-se um predomínio acentuado no lactente no sexo masculino, entre 1 e 4 meses, nos meses de Dezembro a Março, aos fins-de-semana, no domicílio, em períodos de sono e à noite.»

Resumimos de seguida as principais recomendações enunciadas no documento da SPP, mas aconselhamos vivamente a sua leitura (pode ler o documento aqui e descarregar o folheto [.ppt] com as recomendações aqui):

O SEU FILHO DEVE DORMIR SEMPRE DE COSTAS! «Vários estudos epidemiológicos, incluindo milhares de lactentes, demonstram que a posição mais segura para dormir é em decúbito dorsal. A publicidade a favor da posição de costas para dormir, permitiu reduções da mortalidade entre 20 e 67%, sem aumento do número de mortes por aspiração de vómito. […] A posição em decúbito ventral é um factor de risco para a SMSL. […] Dormir de lado não é tão seguro como de costas.»

O SEU FILHO DEVE DORMIR NUMA CAMA APROPRIADA! «Até aos 2 anos o bebé deve dormir numa cama de grades, sobre um colchão firme e bem adaptado ao tamanho da cama ou berço, para que não fique qualquer espaço entre o colchão e as grades. […]»

DESTAPE A CABEÇA DO BEBÉ! «A roupa da cama não deve cobrir a cabeça do bebé. […]»

NÃO FUME DURANTE A GRAVIDEZ. NEM DEPOIS! «O risco de SMSL aumenta se a mãe fumou durante a gravidez e se continua a fumar após o parto. Quando o pai também fuma, o risco agrava-se mais. […]»

EVITE O SOBREAQUECIMENTO! «[…] Para prevenir isto deve usar o bom senso e adequar a temperatura do quarto, a roupa do bebé e a roupa da cama à estação do ano e ao lugar que habita.

A temperatura ideal do quarto deverá estar entre 18-21 ºC»

NÃO COLOQUE O BEBÉ NA SUA CAMA PARA DORMIR! «Dormir na cama com o bebé aumenta o risco de SMSL e o risco de asfixia. Este risco aumenta consideravelmente se os adultos que partilham a cama fumarem, estiverem muito cansados, se tomaram medicamentos calmantes ou se ingeriram bebidas alcoólicas.
Nunca adormeça no sofá com o seu bebé. […]»

O BEBÉ ACORDADO PODE ESTAR NOUTRAS POSIÇÕES! «Quando está acordado pode colocar o bebé de barriga para baixo para brincar. […]»

A CHUPETA PODE REDUZIR O RISCO DE MORTE SÙBITA! «Ofereça uma chucha ao bebé para dormir mas se ele a rejeitar não force. Se o bebé for amamentado, a chupeta não deve ser oferecida nas primeiras semanas de vida, pois pode prejudicar a adaptação de bebé à mama.»