Gripe A: avisos para grávidas dados em Inglaterra não se justificam em Portugal

«As grávidas são consideradas um grupo de risco em qualquer gripe, mas não se justificam em Portugal os avisos que as autoridades de saúde britânicas fizeram a propósito do vírus H1N1, disse o pneumologista Filipe Froes, do Hospital Pulido Valente.
O consultor da Direcção-Geral da Saúde acentuou que as recomendações das autoridades sanitárias britânicas dirigidas às grávidas, entre as quais evitarem multidões e viajarem em transportes públicos, “baseiam-se numa realidade epidemiológica muito diferente”.
[…] No entanto, o médico sublinhou que “as grávidas são consideradas um grupo de risco quer para a gripe endémica quer para a gripe sazonal”, embora a Direcção-Geral de Saúde tenha feito apenas alertas especiais para as crianças, as pessoas com mais de 65 anos e os portadores de doenças crónicas.
[…] O subdirector-geral da Saúde, José Robalo, referiu na Comissão Parlamentar de Saúde na semana passada que as grávidas e as crianças só deverão receber a vacina contra a Gripe A (H1N1) em Fevereiro de 2010. […]»

Fonte: Público, 20/07/2009

Um comentário em “Gripe A: avisos para grávidas dados em Inglaterra não se justificam em Portugal”

  1. Este Filipe Froes é um dos que está compradissimo pelo governo mundial…[…].

    Qual gripe? Nunca houve gripe nenhuma, abram os olhos, isto foi tudo feito para o governo mundial arrecadar uns biliões em tempo de crise, ou não perceberam?

    Cumps

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *