Base Keyo da Bébé Confort – para alcofa, cadeirinha, espreguiçadeira e cadeira da papa

payoff Keyo

A solução versátil para desfrutar de cada momento especial no desenvolvimento do seu filho.

Desde o nascimento, é importante ter o seu filho envolvido em todos os aspectos da vida familiar, a fim de estimular o seu desenvolvimento. Assim sendo, não seria óptimo se o seu recém-nascido pudesse juntar-se a si à mesa, no convívio familiar próprio das refeições, muito antes de se poder sentar numa cadeira de papa de modo independente?

windoo pebble

bouncer highchair

A Bébé Confort Keyo é uma base sólida, de altura regulável, que acompanha o crescimento do seu filho. Nela podem-se adaptar, desde o nascimento, as alcofas Windoo, Windoo Plus e Streety, as cadeirinhas Streety.fix, Créatis.fix e Pebble da Bébé Confort e a espreguiçadeira Keyo. À medida que o seu filho crescer, a base Keyo pode ser usada com o assento Keyo, tornando-se assim uma prática cadeira da papa. Divirta-se!

Alimentação do bebé: o bebé quer comer "como um grande" Etapa 3 (mais de 3 anos)

 
A partir dos 3 anos, a criança imita os pais e quer fazer "como os grandes". Para lhe permitir passar esta etapa com brio, é preciso oferecer ao bebé uma louça "de grande", bem adaptada aos seus gestos inseguros.


Conjunto de 2 pratos

• Conjunto astuto, seguindo os códigos da louça de adulto, composto por um prato raso e outro de sobremesa.
• Rebordos suficientemente altos para prevenir os gestos desajeitados do bebé e amovíveis para que possa progredir quando forem retirados.


Conjunto de copos inquebráveis

• Conjunto composto por 2 copos inquebráveis: um copo como o dos pais, mas de tamanho adaptado às mãozinhas do bebé!


Conjunto de 3 talheres

• Verdadeiros talheres de adulto para o bebé: uma colher, um garfo e uma faca de aço.
• Tamanho adaptado e forma especialmente estudada para serem utilizados de maneira segura e confortável pela criança.

Alimentação do bebé: a aprendizagem da autonomia Etapa 2 (1 a 3 anos)


Entre 1 e 3 anos, a criança começa a comer sozinha, mas os seus gestos são ainda inseguros. Precisa então de uma louça adaptada que a vai ajudar nos seus primeiros passos para a autonomia.


Prato compartimentado

• 2 compartimentos para separar os alimentos no sentido de guiar o bebé na descoberta dos sabores.
• 2 pegas largas de cada lado para ajudar o bebé a comer mais facilmente.
• Inquebrável para prevenir os primeiros gestos incertos do bebé.
• Pode ir ao microondas, ao congelador e à máquina de lavar louça.


Talheres de aprendizagem ergonómicos

Para guiar o bebé nas suas primeiras colheradas.
• Cabos antiderrapantes e formas adaptadas aos pequenos dedos do bebé.
• Estáveis graças à ponta redonda, não baloiçam.
• Engenhosos, bloqueiam-se no rebordo do prato.


Caixa de conservação 2ª idade

• Graduada de 60 a 360 ml, permite aos pais medir precisamente as quantidades de alimentos adaptadas ao bom desenvolvimento da criança.
• Ideal para as pequenas sopas do bebé, utiliza-se no microondas, no congelador e na máquina de lavar louça.

A diversificação alimentar Etapa 1 (5-12 meses)

A aprendizagem alimentar da criança passa por várias etapas. Entre os 5 e os 12 meses, é o momento da diversificação alimentar. Em cada etapa, são os pais que alimentam o seu bebé e que velam pelo seu bom equilíbrio alimentar, respeitando as porções adaptadas à sua idade.


Prato ergonómico 1ª idade

• A sua "pega" ergonómica ajuda a segurar bem no prato: prático quando o bebé está a mexer muito!
• Tampa com válvula de entrada de ar para poder ir ao microondas, ao congelador e à máquina de lavar loiça.


Colheres flexíveis

Para guiar os gestos da mamã e do papá aquando das primeiras refeições do bebé.
• Flexíveis e ultra macias para as gengivas delicadas do bebé.
• Cabo longo, fácil de segurar e prático para os boiões.


Caixas de conservação graduadas

• Kit constituído por 2 caixas graduadas de 30 a 150 ml, para guiar os pais na preparação das doses certas de alimentos.
• Ideais para conservar as refeições, passam do congelador para o microondas (válvula de entrada de ar) e podem ser lavadas na máquina de lavar loiça.
• Empilháveis para poupar espaço.

Cores da nova cadeira Grupo 2/3 Ferofix 2011

Ferofix

FeroFix é a nova cadeira-auto com isofix do grupo 2/3. O design espaçoso da cadeira permite uma rápida e fácil instalação. Sempre pronto a viajar.

Instalação IsoFix
• FeroFix com instalação isofix.


• Tecnologia Air Protect revolucionária integrada no apoio de cabeça.


• Novo sistema de guia do cinto de segurança para melhor acesso e de fácil remoção.

 

• Leve, fácil de transferir de um automóvel para o outro.
• Fecho do cinto de segurança fica visivel e de fácil acesso.


• 2 posições de reclinação para um optimo conforto.

 
• Encosto e apoio de cabeça crescem com a criança, em largura e altura.

Ferofix Total Black Ferofix Brown Earth Ferofix Dark Olive Ferofix Deep Blue Ferofix Marble Pink Ferofix Steel GreyFerofix Intense Red Ferofix forra turca

A importância de uma conjunção coordenativa copulativa não correlativa

Assim que o novo Código da Estrada foi publicado, em 2005, a Bébé Confort Coimbra solicitou de imediato alguns esclarecimentos junto da Direcção Geral de Viação (DGV), sobre alguns pontos menos claros da lei, relacionados com o transporte de crianças em automóvel. (Uma dessas questões está referida num outro artigo do nosso blog: “Transporte de crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura, mas com peso superior a 36 kg”).

Uma questão que então colocámos continua a ser recorrente. Muitos pais nos perguntam se uma criança com menos de 12 anos, mas mais de 1,5 m de altura, deve usar ainda cadeirinha. Isto porque o n.º 1 do artigo 55.º do Código da Estrada estabelece que as crianças com menos de 12 anos de idade e (sublinhado nosso) menos de 150 cm de altura, transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança, devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso. A resposta que sempre demos, mas que nunca escrevemos (por estar eventualmente contra uma possível interpretação da lei), é que uma criança nessas condições não deveria ser obrigada a usar um sistema de retenção, ou seja, deveria usar apenas o cinto de segurança do automóvel.

A importância deste “12 anos e menos de 150cm” revelou-se recentemente.

No dia 10 de Janeiro de 2008 um agente da PSP autuou um condutor, na rotunda da Fazenda, em Machico, por transportar o seu filho, nascido em 31 de Outubro de 1997, apenas com cinto de segurança, mas sem sistema de retenção, vulgo cadeira.

O condutor viria a ser condenado na pena acessória de 35 dias de inibição de conduzir, suspensa pelo período de seis meses, pela prática de uma contra-ordenação grave, nos termos dos artigos 55º nº 1, 138º nº 1, 145º nº 1 al. p) e 147º nºs 1 e 2 do Código da Estrada.

Inconformado, o condutor interpôs recurso de impugnação judicial para o Tribunal Judicial de Santa Cruz. Como principal fundamento do seu recurso o pai alegava que o seu filho tinha menos de 12 anos, mas tinha mais de 150 cm na data da ocorrência, pelo que não seria obrigado a usar cadeirinha, mas tão-somente o cinto de segurança. Invocava para tal que a letra e o espírito da norma contida no nº 1 do artigo 55° do Código da Estrada “permite que uma criança com mais de 1,50 cm, mesmo que tenha menos de 12 anos, seja dispensada do uso do dito sistema de retenção”. Todavia, a sentença deste tribunal manteve na íntegra a decisão administrativa anterior.

Entretanto, esta última questão viria a ser objecto de um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa (Processo 378/10.8TBSCR.L1-3), em 3 de Novembro de 2010, que escalpelizou exaustivamente a interpretação a dar ao “e” na frase “crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150cm de altura”:

«A questão está no significado da partícula “e” aposta entre “menos de 12 anos de idade” e “menos de 150 cm de altura”. Esta conjunção coordenativa copulativa não correlativa traduz a existência de um elemento coordenado a um outro elemento e exprime uma relação de conjunção, neste caso, de simples adição. Concretizando, se a criança tiver, cumulativamente (ideia de adição expressa pelo e) menos de 12 anos e menos de 150 cm de altura deve ser segura por sistema de retenção homologado. Donde, se faltar um desses requisitos cumulativos – se a criança tiver mais de 12 anos ou mais de 150 cm – já não é obrigada a ser segura pelo dito sistema de retenção.»

A conclusão expressa neste acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa não podia ser mais clara: «Nos termos do art. 55º nº 1 do Código da Estrada uma criança com 150 cm ou mais de altura mas com menos de 12 anos de idade, transportada em automóvel equipado com cintos de segurança não é obrigada a ser segura por sistema de retenção

Quanto ao condutor, restou-lhe ter que provar que naquele dia o seu filho (de, então, 11 anos) tinha mais de 1,5 m.

Desconhecemos o desfecho deste caso, mas há uma lição a retirar: a clareza da lei é fundamental e um “e” faz toda a diferença!

 

O acórdão aqui referido e citado pode ser consultado no seguinte endereço: http://www.dgsi.pt/jtrl.nsf/e6e1f17fa82712ff80257583004e3ddc/18aca423c982b3e1802577ed005632cc?OpenDocument

Rodi Air Protect 2011

Enquanto pais, tentamos accionar todos os meios para proteger os nossos filhos. Será essa a nossa principal preocupação.
Revolucionária, a Rodi Air Protect possui a patente da protecção lateral.
A Rodi AirProtect® da Bébé Confort foi especialmente pensada para ultrapassar as exigências dos testes de segurança mais rigorosos.

Rodi Air Total BlackRodi Air Intense RedRodi Air Deep BlueRodi Air Brown Earth

Ultra-segura: com tecnologia AirProtect
• Desenvolvida para proteger a cabeça do vosso filho em caso de acidente.

• A Rodi AirProtect® oferece também a máxima protecção lateral ao nível das ancas.

Modular
• As costas da cadeira são reguláveis em altura e em largura para acompanhar cada etapa do crescimento do vosso filho.

• O conforto do vosso filho está assegurado graças ao sistema exclusivo de inclinação.