Amamentação e Gripe Suína

A associação ILCA (International Lactation Consultant Association) insta as mães, trabalhadores da saúde e a comunidade em geral para promover, apoiar e incentivar a amamentação, que providencia aos bebés anticorpos humanos que podem ajudar a combater doenças.

A ILCA apoia as recomendações dos CDC (Centers for Disease Control and Prevention), “Interim Guidance – Pregnant Women and Swine Influenza: Considerations for Clinicians”, que aconselham as mães lactantes para continuar a amamentar enquanto estiverem a tomar medicações antivirais, quando houver essa indicação. O guia dos CDC, disponível em http://www.cdc.gov/swineflu/clinician_pregnant.htm, recomenda que as mães que amamentam, que venham a a contrair a gripe, tomem medidas para minimizar a exposição do lactente, incluindo a lavagem das mãos e eventualmente cubrindo a boca/nariz da mãe com uma máscara.

Os CDC reportam ainda que, ainda que se desconheça o risco de transmissão da gripe suína da mãe para o bebé através da amamentação, os relatos de transmissão da gripe sazonal são raros.

Fontes:

“BREASTFEEDING SHOULD CONTINUE DURING SWINE FLU OUTBREAK”, ILCA, 1/05/2009

“Recomendações da ILCA – International Lactation Consultant Association sobre Leite Materno e Humano e Gripe A”, Sociedade Portuguesa de Neonatologia

Primeiro banco de leite humano em Portugal

O primeiro banco de leite humano em Portugal deve começar a funcionar este mês na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, depois de alguns contratempos que adiaram, em vários meses, a sua entrada em funcionamento.

[…] Israel Macedo, pediatra neonatologista da Maternidade Alfredo da Costa (MAC), que tem estado a acompanhar este processo, disse ao JN que, durante este mês, deverão começar a seleccionar as mães-dadoras e a recolher leite. Logo que haja algum leite pasteurizado disponível, arranca a distribuição. Nesta fase inicial, o leite destina-se a alimentar os bebés prematuros internados nas unidades de cuidados intensivos e intermédios da MAC, cujas mães não têm leite suficiente ou, por qualquer razão, não os podem amamentar.

[…] Pela experiência dos países onde já existem bancos de leite – são muito populares no Brasil e existem também nos Estados Unidos, Inglaterra e, mais recentemente, em Espanha -, o neonatologista acredita que, em pouco tempo, “os pais vão perceber e aceitar que, na impossibilidade de estes bebés serem alimentados com o leite da mãe, o leite da dadora é uma alternativa com bastantes vantagens em relação ao leite artificial”. A este propósito, disse que a MAC já foi contactada por duas mães interessadas em receber leite humano pasteurizado (por já não poderem amamentar os seus bebés) e por várias mães interessadas em doar leite.

[…] O leite é sujeito a análises bacteriológicas (se houver bactérias passíveis de produzir toxinas, é rejeitado) e só depois pasteurizado. O processo demora cerca de hora e meia e passa por expor o leite a temperaturas muito altas e depois negativas. Congelado, o leite dura cerca de três meses.

Fonte: Jornal de Notícias, 7 de Junho de 2009

A importância da correcção da pega no processo da amamentação

Um estudo português sobre os benefícios de corrigir a forma como um bebé «pega» na mama da mãe quando está a ser amamentado acaba de ser distinguido em Espanha como o melhor sobre a temática do aleitamento materno, refere a Lusa.

[…] O estudo conclui que a correcção da pega do bebé à mama na primeira mamada aumenta significativamente a duração do aleitamento materno, disse a principal autora, Adriana Pereira.

[…] Esse êxito «é benéfico não só para a saúde da mãe e do bebé, como para a família, a sociedade e o meio ambiente, segundo atestam todos os estudos científicos até agora realizados», sublinhou.

Nesse sentido, a autora considera muito importante que as mães conheçam e saibam identificar os sinais de pega correcta para ajudarem os próprios bebés.

[…] Adriana Pereira explicou que «o bebé deve ficar com a boca bem aberta quando está a mamar, com o lábio inferior virado para fora e com o queixo a tocar na mama».

Além disso, a aréola (parte escura da mama) «deve ver-se mais acima da boca do que abaixo, e habitualmente as bochechas ficam arredondadas e não chupadas para dentro».

[…] O estudo, feito no âmbito do doutoramento de Adriana Pereira em Ciência Biomédicas pela Universidade do Porto, em 2005, está publicado num livro intitulado «Aleitamento materno – a importância da correcção da pega no processo da amamentação – resultados de um estudo experimental”, editado pela Lusociência em 2006.

Adriana Pereira é membro fundador do Comité Nacional para o Aleitamento Materno e formadora nesta área para a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a UNICEF.

Fonte: TVI, Amamentação: estudo português premiado, 22-03-2009

MANUAL DE ALEITAMENTO MATERNO da UNICEF

«Alguns estudos portugueses apontam para uma alta incidência do aleitamento materno, significando que mais de 90% das mães portuguesas iniciam o aleitamento materno; no entanto, esses mesmos estudos mostram que quase metade das mães desistem de dar de mamar durante o primeiro mês de vida do bebé, sugerindo que a maior parte das mães não conseguem cumprir o seu projecto de dar de mamar, desistindo muito precocemente da amamentação.
Por todas estas razões, é essencial que em Portugal se continuem a implementar medidas que promovam um maior sucesso do aleitamento materno.»

Fonte: MANUAL DE ALEITAMENTO MATERNO, Comité Português para a UNICEF/Comissão Nacional Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés, Edição Revista de 2008

Pode consultar o Manual de Aleitamento Materno no site da Sociedade Portuguesa de Pediatria.

Colecção Cuidados Diários – Amamentação

Amamentacao Colecção Cuidados Diários – Amamentação

Joana Moorheas

Repleta de informações práticas, conselhos úteis e experiência valiosa, a colecção Cuidados Diários da JOHNSON’S é uma referência essencial para os pais.

64 páginas | capa mole | 235 x 183 mm

Concebido para responder às principais dúvidas dos pais relativamente à amamentação. Inclui as últimas informações e orientações médicas sobre como amamentar o seu bebé. Abrange desde os recém-nascidos até ao desmame.

Dia Mundial do Aleitamento Materno 2008

image

«No âmbito do Dia Mundial do Aleitamento Materno, que se assinala hoje, Rosário Côto [responsável pela comissão de saúde materna e obstetrícia da Ordem dos Enfermeiros] garantiu à Lusa que mesmo com uma oferta cada vez maior de leites artificiais “faz todo o sentido amamentar” para que a mãe transmita diferentes “constituintes (como vitaminas e minerais)” e “dê imunidade” ao bebé.

[…]
Para algumas mulheres, a amamentação pode ser uma prisão. Mas a mulher terá que decidir com informação e apoiada. Porque nos primeiros dias o processo é difícil e muitas desistem por não ter esse apoio“, notou à Lusa.
[…]
Rosário Côto sublinhou que para mostrar a amamentação como um acto natural, as telenovelas também terão que substituir a imagem do biberão pela da mulher a amamentar.»

Na legenda que acompanha o cartaz elaborado pela Ordem dos Enfermeiros para comemorar o Dia Mundial do Aleitamento Materno 2008, pode ler-se: “Aos campeões o melhor alimento… O leite materno”. Com os Jogos Olímpicos de Pequim tão próximos a Ordem dos Enfermeiros sensibiliza as mamãs para os benefícios do aleitamento materno para os medalhistas dos Jogos Olímpicos Portugal/Espanha 2032.

Fontes: Sic Online e Ordem dos Enfermeiros

Armazenamento e transporte de leite materno


Verifique com o seu hospital para ver se há instruções específicas.

Conforme as necessidades podemos conservar o leite respeitando os seguintes passos:

– Conservação do leite deverá ser feita em frascos ou sacos esterilizados.

– O leite pode permanecer no frigorífico até 24 horas (nunca na porta) a uma temperatura de aproximadamente4/5ºC.

– Para congelar, retirar o leite e não encher o recipiente mais de ¾, colocá-lo no frigorífico para a temperatura descer gradualmente. Só depois colocar no congelador, onde poderá permanecer a uma temperatura igual ou inferior a – 18ºC até 3 meses. Não se aconselha mais tempo, uma vez que à medida que o bebé vai crescendo as necessidades vão mudando e o leite vai-se adequando a essas necessidades.

– Coloque a data de extracção em cada saco ou frasco.

– Para descongelar, retirar do congelador e colocar no frigorífico, para que descongele gradualmente. Deve-se evitar a descongelação à temperatura ambiente.

– Programe as mamadas e descongele previamente o leite no frigorífico.

– Agite delicadamente o frasco ou saco para misturar a gordura que se separou.

– Nunca descongele o leite no microondas ou em água a ferver.

– O aquecimento do leite deve ser feito em banho-maria ou num aquecedor de biberões.

– O transporte do leite deve ser feito em saco térmico, que mantenha o frio durante o percurso a efectuar (por exemplo: do trabalho para casa).

Conselhos práticos de amamentação Anita Maternity

Soutien de amamentação Anita Maternity mama e bebe Amamente sem stress, demore o tempo necessário e leve água suficiente para beber. Escolha um cantinho sossegado e pense em momentos positivos. Respire devagar e constantemente, relaxe os ombros e os braços e goze a intimidade com o seu bebé.

Recomendamos uma alimentação equilibrada e regular – precisa das suas reservas e forças para a produção de leite materno.

Estes alimentos devem fazer parte da sua ementa diária:

  • Pão integral e outros cereais
  • Azeite
  • Arroz, batata e massa
  • Peixe e carne magra
  • Cálcio e outros minerais
  • Legumes e fruta que contenham as vitaminas necessárias

Fonte: AnitaMaternity

A higiene durante a extracção do leite




Antes de extrair o seu leite deve lavar as suas mãos e seguir todas as indicações do fabricante para limpar o extractor. Uma boa higiene é imperativa se quiser dar o seu leite ao seu bebé. Todas as partes do extractor e os recipientes de recolha e armazenamento do leite devem ser limpas e desinfectadas antes de utilizar. Se o seu bebé for doente ou prematuro siga à risca as recomendações do hospital.

Dicas úteis para extrair o leite


Há diversas coisas que pode fazer para incentivar a descida do leite e permitir que este flua mais facilmente:

– É mais fácil extrair o leite se estiver relaxada. O stress dificulta a descida e a extracção do leite.

– Procure um local sossegado para extrair o leite.

– Tenha tudo o que necessita ao seu alcance.

– Aplique compressas mornas para o leite sair com maior fluidez.

– Tenha os ombros relaxados, as costas e os braços bem apoiados.

– Para muitas mães é mais fácil extrair o leite na frente do seu bebé ou se olhar para um retrato.

– Tenha uma bebida agradável acessível antes e durante a extracção do leite.

– Descanse tanto quanto possível.

Fonte: Medela, Bacelar