O sono do bebé no primeiro mês

Neste período não se deve esperar muita atenção do bebé quando está a chorar, pois nesse momento o que necessita é de ser confortado. O mesmo barulho que o encantou quando estava feliz, agora vai irritá-lo e fazê-lo chorar ainda mais.

À medida que o sistema nervoso se torna mais desenvolvido, vai estabelecendo um padrão de choro, de sono, de comer e de brincar, conjugando-os ao seu próprio esquema diário.

Nesta altura necessita comer a cada 3 horas e, no final do 1º mês, vai estar acordado por períodos maiores durante o dia, estando mais alerta e reactivo nesses períodos.

Letargia e Sonolência

O recém-nascido passa a maior parte do tempo a dormir. Se acordar cada 2 ou 3 horas, comer bem, parecer satisfeito e estiver desperto parte do dia, será perfeitamente normal dormir durante o restante dia. Mas, se raramente estiver desperto, não acordar por si próprio para as refeições, ou parecer demasiado cansado ou desinteressado em comer, deve consultar o pediatra.

Esta letargia – especialmente se for uma mudança súbita do seu padrão habitual – pode ser um sintoma de doença grave.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

Estádios de consciência do bebé

À medida que se vai conhecendo o bebé, rapidamente nos apercebemos que há momentos em que está muito alerta e activo, momentos em que está acordado, mas bastante passivo e outras vezes cansado e irritável. Estes chamados estádios de consciência vão alterar-se rapidamente durante o 1º mês de vida.

Há 6 estádios de consciência – 2 de sono e 4 de vigília – que se alternam várias vezes por dia.

Estádio 1 – sono profundo – o bebé está muito quieto, sem se mover e praticamente não responde. Um barulho repetido no ouvido, apenas o fará mexer-se um pouco.

Estádio 2 – sono mais activo – o mesmo barulho no ouvido irá provocar-lhe um sobressalto e fá-lo-á acordar. Durante este sono ligeiro, poderá ver-se movimentos rápidos dos olhos mantendo as pálpebras fechadas. Estes 2 estádios de sono alternam-se ciclicamente. Por vezes o bebé refugia-se neste estádio quando está muito estimulado ou cansado.

Estádio 3 – acontece quando o bebé acorda ou começa a adormecer. Os olhos rodam para trás enquanto as pálpebras se fecham. Pode esticar-se, bocejar ou sacudir braços e pernas.

Uma vez acordado irá para um dos 3 restantes estádios: fica acordado, feliz mas relativamente imóvel – estádio 4; fica alerta e muito activo – estádio 5; ou fica a chorar – estádio 6.

Se, nos estados 4 e 5 – quando está acordado e feliz, fizerem um barulho junto ao ouvido, ele fica quieto e vai rodar a face para a fonte do som. Esta é a altura em que o bebé está mais reactivo e atento ao que se passa à sua volta.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

Padrões de sono do bebé

À medida que a criança cresce, o seu estômago aumenta de tamanho, passando a ser maiores os intervalos das refeições. Por volta dos 3 meses, cerca de 90 % dos bebés poderão dormir 6 a 8 horas, sem acordar, durante a noite. Normalmente isto acontece quando se atinge 5,5 kg – 6 kg. Assim, se o bebé for grande, poderá começar a dormir <toda a noite, mesmo antes dos 3 meses.

Um recém-nascido poderá adormecer mais facilmente se for embalado suavemente; alguns lactentes necessitam que se caminhe, embale, fale suavemente ou coloque a chupeta; outros ficarão mais relaxados com uma música suave.

Mesmo antes de nascer, os dias do bebé são divididos em períodos de sono e de vigília. Desde os 8 meses de gestação ou até mais cedo, o sono é constituído por 2 fases distintas:

Sono com movimentos rápidos dos olhos (rapid eye movement – REM) – sono REM – durante o qual se tem um sono activo. Durante estes períodos os olhos movem-se, mantendo as pálpebras fechadas, quase como se estivesse a observar o desenrolar do sonho. Parece assustar-se, contorcer a face fazendo movimentos bruscos com as mãos e pés. Todos estes sinais são normais do sono REM.

Sono Não REM

Este sono consiste em 4 fases: sonolência, sono ligeiro, sono profundo e sono muito profundo. Durante a progressão de sonolência ao sono mais profundo, o bebé torna-se progressivamente menos activo, a frequência respiratória baixa, torna-se muito tranquilo, até que no sono mais profundo, virtualmente fica sem emoções. Muito poucos sonhos, se alguns, ocorrem durante o sono Não REM.

Inicialmente o recém-nascido poderá dormir cerca de 16 horas por dia, divididas em 3 ou 4 horas de sonos leves, igualmente espaçadas entre as refeições. Cada um destes períodos de sono inclui iguais conjuntos de sonos REM e Não REM, organizados pela seguinte ordem: sonolência, sono REM, sono ligeiro, sono profundo e sono muito profundo.

Aos 2-3 meses esta ordem muda à medida que vai crescendo, alternando fases Não REM antes de entrar em sono REM. Este padrão irá manter-se e continuará pela idade adulta.

À medida que cresce, a quantidade de sono REM vai diminuindo e o sono torna-se de uma maneira geral, mais calmo.

Aos 3 anos, as crianças passam um terço ou menos do tempo total de sono, em sono REM.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

Posição de dormir do bebé

Durante muito tempo recomendou-se que os lactentes, particularmente entre o nascimento e os 4 meses de idade, deveriam dormir de barriga para baixo, pensando que seria a melhor maneira de evitar a aspiração (entrada de alimentos na traqueia) em caso de vómito.

Sabe-se agora que deitado de costas é uma posição segura, principalmente porque está relacionada com o síndroma da morte súbita, responsável por mais mortes, nos Estados Unidos, do que qualquer outra causa, durante o 1º ano de vida.

Por isso a AAP (Academia Americana de Pediatria) recomenda que os lactentes saudáveis sejam deitados de costas para dormir.

A explicação correcta da morte súbita não se sabe, mas pode estar relacionada, no lactente deitado sobre o seu estômago, com uma menor oxigenação ou uma menor eliminação de dióxido de carbono, pois o bebé nesta posição, vai respirar o mesmo ar contido numa pequena bolsa da cama, formada à volta do nariz.

Embora a posição de dormir não seja a única justificação para o sindroma da morte súbita, parece no entanto estar fortemente relacionada com ele, o que justifica a recomendação. Há, no entanto, algumas excepções.

A recomendação de deitar o bebé de costas aplica-se a todos os lactentes saudáveis, durante o 1º ano de vida, sendo particularmente importante nos primeiros 6 meses, quando a incidência do sindroma da morte súbita é maior. Também se pode deitar o bebé de lado, alternando um lado com o outro.

Desde 1992, altura em que AAP começou a recomendar esta posição para dormir, a incidência anual do sindroma da morte súbita, diminuiu mais de 50 %.

É também muito importante evitar colocar almofadas, cobertores, mantas ou mesmo brinquedos de tecidos moles, pois podem bloquear a entrada de ar, se se encostarem à face do bebé.

Deve-se evitar colocar o bebé em colchões de borracha ou muito moles, ou sofás.

Uma cama segura para um lactente deverá ter um colchão firme, coberto por um lençol.

Brinquedos moles ou peludos devem estar fora da alcofa do bebé.

A temperatura do quarto deve ser confortável, não colocando o bebé perto da saída de ar quente ou janelas abertas.

Usar uma só peça de roupa para cobrir o bebé, que deve ser dobrada por baixo do colchão e não ultrapassar o peito, para evitar o risco de cobrir a face.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)

O sono do bebé

No início o recém-nascido não faz a diferença entre o dia e a noite. O seu estômago vai mantê-lo relativamente satisfeito por períodos de 3 a 4 horas, independentemente da hora do dia e, assim, irá acordar como um relógio, para se alimentar, nas primeiras semanas.

No entanto, mesmo nesta idade, pode-se começar a ensinar que a noite é para dormir e o dia é para brincar. Para isso, não se deve acender a luz nem demorar na muda da fralda, durante a noite. Se no final da tarde dormir mais de 3 horas, deve-se acordar e conversar ou brincar com o bebé, para que possa reservar algum sono extra para a noite.

Fonte: Fichas Bebé Confort.

Com a colaboração de Laurentina Cavadas (Médica Pediatra)