A Maternidade Bissaya Barreto e a promoção do aleitamento materno

Maternidade Bissaya Barreto incentiva o aleitamento materno

«O aleitamento materno é uma das formas mais eficazes de assegurar a saúde e sobrevivência de uma criança.

[…] Neste contexto, a Maternidade Bissaya Barreto (MBB) tem programas de apoio à amamentação que envolvem todos os profissionais da instituição, com o objectivo último de reforçar o apoio prestado à mulher na prática do aleitamento materno, indo ao encontro do que é preconizado pela Organização Mundial de Saúde. Um destes programas é a Semana do Aleitamento Materno, que [começou] dia 4 de Outubro e se prolonga até dia 9.

[…] Os profissionais da MBB preocupam-se em conhecer as expectativas da mulher/casal quanto à amamentação e estão dispostos a informar sobre as vantagens do aleitamento materno e as técnicas correctas de amamentação. Na Maternidade, os profissionais de saúde colocam o bebé “pele a pele” com a mãe após o nascimento e facilitam a mamada na primeira hora de vida, com melhorias efectivas na produção de leite e no estabelecimento do vínculo afectivo.

[…] Os profissionais da MBB reconhecem as dificuldades da amamentação sentidas pela família e, por isso, criaram o Serviço de Apoio à Amamentação, disponível 24 horas por dia, destinado às mulheres que tenham feito a vigilância pré-natal ou o parto nesta instituição. O serviço de internamento dá resposta a estas solicitações presencialmente ou por via telefónica.»

Pode ler o artigo na íntegra no site www.CienciaPT.net

Aleitamento Materno – Do que se diz ao que se sabe…

Bárbara Sousa e Teresa Pacheco, enfermeiras, a trabalhar há 8 anos na área de Saúde Materna e Obstétrica e conselheiras em Aleitamento Materno, são as autoras do livro “Aleitamento Materno – Do que se diz ao que se sabe…”, publicado recentemente pelas Edições MinervaCoimbra.

Como o próprio título indica, as autoras pretendem esclarecer dúvidas, desfazer mitos e elucidar as mães (e os pais) para que o aleitamento seja feito de um modo mais informado. Como as próprias autoras esclarecem, “não desvalorizamos o que se diz, mas com fundamentação concluímos que nem sempre se vai ao encontro do que se sabe”.

O livro está dividido em quatro partes. Em primeiro lugar, Bárbara Sousa e Teresa Pacheco abordam os anseios e as expectativas que as mamãs têm antes da amamentação. A segunda parte, porventura a mais importante e aquela a que as autoras dedicam atenção no livro, trata das vivências da amamentação. É uma secção que será muito útil para quem esteja a amamentar, porque permite um rápido esclarecimento de uma série de dúvidas ou receios que possam surgir. Na terceira parte, oferece-se uma súmula dos benefícios do leite materno. Por último, as autoras não quiseram deixar de lado as partes legais e práticas do “regresso ao trabalho”.

Ao longo do livro, as enfermeiras Bárbara Sousa e Teresa Pacheco, enumeram e analisam uma série de crenças que, no seu entender, poderão constituir eventuais obstáculos para o êxito do aleitamento materno. A cada uma das questões enunciadas as autoras respondem de um modo simples. Para a maioria delas, a resposta é directa: “sim” ou “não”. Para outras a resposta é um mais cinzento “nem sempre”, ou um “bingo” que não deixa margens para dúvidas.

Com este livro aprende-se, entre muitas outras coisas, que não é por a mamã ter mamilos curtos ou rasos que o bebé vai deixar de mamar; que não se devem lavar os mamilos antes e depois de amamentar; que beber cerveja preta para aumentar a produção de leite é um mito; que o leite pode ser conservado numa arca congeladora durante três meses.

O objectivo das autoras, de informar para facilitar a opção das famílias pela amamentação, foi conseguido com este pequeno livro, que será uma ajuda preciosa para tornar a amamentação cada vez mais uma realidade.

 

Sousa, Bárbara e Pacheco, Teresa (2010). Aleitamento Materno – Do que se diz ao que se sabe… Coimbra: MinervaCoimbra

Apresentação do livro “Aleitamento Materno” de Bárbara Sousa e Teresa Pacheco

As Edições MinervaCoimbra e as autoras Bárbara Sousa e Teresa Pacheco, assinalando a "Semana Mundial do Aleitamento Materno", vão proceder ao lançamento do livro

“ALEITAMENTO MATERNO, do que se diz ao que se sabe…” (com ilustrações de Luísa Alte da Veiga)

A apresentação será feita pelo Dr. Mário Branco (pediatra).

Haverá também uma actuação do coro infantil CHERUBINNI dirigido pela maestrina Isilda Margarida.

A sessão realiza-se hoje, dia 4 de Outubro, pelas 21H00, na Livraria Minerva, Rua de Macau, 52 (Bº Norton de Matos) em Coimbra.

As autoras, enfermeiras, a trabalhar há 8 anos na Área de Saúde Materna e Obstétrica e Conselheiras em Aleitamento Materno, partilham os seus conhecimentos, baseados na investigação e prática diária (com mães, bebés e familiares), oferecendo conselhos práticos e úteis a quem vivencia a amamentação.

A importância da correcção da pega no processo da amamentação

Um estudo português sobre os benefícios de corrigir a forma como um bebé «pega» na mama da mãe quando está a ser amamentado acaba de ser distinguido em Espanha como o melhor sobre a temática do aleitamento materno, refere a Lusa.

[…] O estudo conclui que a correcção da pega do bebé à mama na primeira mamada aumenta significativamente a duração do aleitamento materno, disse a principal autora, Adriana Pereira.

[…] Esse êxito «é benéfico não só para a saúde da mãe e do bebé, como para a família, a sociedade e o meio ambiente, segundo atestam todos os estudos científicos até agora realizados», sublinhou.

Nesse sentido, a autora considera muito importante que as mães conheçam e saibam identificar os sinais de pega correcta para ajudarem os próprios bebés.

[…] Adriana Pereira explicou que «o bebé deve ficar com a boca bem aberta quando está a mamar, com o lábio inferior virado para fora e com o queixo a tocar na mama».

Além disso, a aréola (parte escura da mama) «deve ver-se mais acima da boca do que abaixo, e habitualmente as bochechas ficam arredondadas e não chupadas para dentro».

[…] O estudo, feito no âmbito do doutoramento de Adriana Pereira em Ciência Biomédicas pela Universidade do Porto, em 2005, está publicado num livro intitulado «Aleitamento materno – a importância da correcção da pega no processo da amamentação – resultados de um estudo experimental”, editado pela Lusociência em 2006.

Adriana Pereira é membro fundador do Comité Nacional para o Aleitamento Materno e formadora nesta área para a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a UNICEF.

Fonte: TVI, Amamentação: estudo português premiado, 22-03-2009

MANUAL DE ALEITAMENTO MATERNO da UNICEF

«Alguns estudos portugueses apontam para uma alta incidência do aleitamento materno, significando que mais de 90% das mães portuguesas iniciam o aleitamento materno; no entanto, esses mesmos estudos mostram que quase metade das mães desistem de dar de mamar durante o primeiro mês de vida do bebé, sugerindo que a maior parte das mães não conseguem cumprir o seu projecto de dar de mamar, desistindo muito precocemente da amamentação.
Por todas estas razões, é essencial que em Portugal se continuem a implementar medidas que promovam um maior sucesso do aleitamento materno.»

Fonte: MANUAL DE ALEITAMENTO MATERNO, Comité Português para a UNICEF/Comissão Nacional Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés, Edição Revista de 2008

Pode consultar o Manual de Aleitamento Materno no site da Sociedade Portuguesa de Pediatria.

Hospital do Barlavento Algarvio certificado como "Amigos dos Bebés"

O Hospital do Barlavento Algarvio, em Portimão, recebeu ontem das mãos da ministra da Saúde, Ana Jorge, o certificado de “Hospital Amigos dos Bebés”, uma distinção da UNICEF já atribuída ao Hospital Garcia d´Orta e Maternidade Bissaya Barreto.

“Já temos três hospitais ‘Amigos dos Bebés’, mas precisamos continuar este trabalho de promoção do aleitamento materno em Portugal”, afirmou a ministra da Saúde na Conferência da UNICEF/Comissão Nacional da Iniciativa dos Hospitais Amigos dos Bebés, que assinala a “Semana do Aleitamento Materno”, com o tema “Apoio às Mães no Sucesso da Amamentação”.

[…] O presidente da UNICEF Portugal, Manuel Pina, adiantou que a tarefa de certificar os hospitais Amigos dos Bebés está agora mais facilitada, porque já existe uma “carteira de avaliadores nacionais” e já não é preciso recorrer a especialistas internacionais.

“Até agora, ao segundo HAB [Maternidade Bissaya Barreto], nós tivemos de recorrer a uma técnica internacional de reconhecimento.

[…] A Comissão Nacional da Iniciativa dos Hospitais Amigos dos Bebés quer estender a iniciativa “Amigos dos Bebés” aos centros de saúde e universidades.

[…] A enfermeira Teresa Félix, da Comissão Nacional, acrescentou que faz “todo o sentido” os centros de saúde e as universidades ligadas à saúde estarem envolvidos nesta dinâmica, como acontece noutros países, para um melhor apoio e acompanhamento das mulheres grávidas.

[…] A ARS/Norte também tem apostado na promoção do aleitamento materno, tendo desde Abril de 2007 iniciado a formação de profissionais nesta área, abrangendo já cerca de 250 especialistas, entre os quais médicos e enfermeiros, segundo a médica Maria Constantina Silva.

Para promover o aleitamento materno foi lançada uma campanha global destinada a informar e incentivar ao apoio da comunidade ao aleitamento materno.

Um site na Internet (www.cantinhodaamamentacao.com ) e um fórum de discussão são alguns dos suportes disponíveis para informar e criar “uma comunidade de verdadeiros apoiantes da amamentação”.

A enfermeira Marília Pereira, especialista em Saúde Materna e Obstetrícia e consultora de aleitamento materno, disse que “para que a amamentação seja bem sucedida e duradoura é necessário que a família, os profissionais de saúde e a comunidade apoiem a mãe que amamenta, protejam e promovam o aleitamento materno”.

“O aleitamento materno é o único alimento completo e ideal para o bebé até ao sexto mês de vida”, sublinhou a enfermeira.

Fonte: Jornal do Algarve, 7/10/2008