Cheques-dentista ainda são pouco utilizados

“Em cinco meses, os centros de saúde emitiram cerca de 18 mil cheques-dentista para grávidas e idosos. Bem menos do que os que poderiam ser atribuídos se todos os beneficiários – 155 mil – a eles recorressem.

Numa altura em que se prepara o alargamento do Programa de Saúde Oral a 190 mil crianças, as contas apontam um uso ainda pequeno dos cheques-dentista. Em vigor desde Junho, estes vales dão a certos utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) o acesso a cuidados de saúde oral em consultórios privados, que são depois ressarcidos pelo Estado. Cada cheque-dentista vale 40 euros, tendo as grávidas acompanhadas no SNS direito a três por cada gravidez, enquanto os idosos beneficiários do complemento solidário podem receber dois por ano.

[…] De acordo com os números da OMD, até 27 de Outubro foram emitidos 18.033 cheques-dentista. Desses, 15.586 foram atribuídos a grávidas, contra 2447 a idosos. Ora, quando foi lançado, o programa foi pensado para abranger os 90 mil idosos com complemento solidário e as 65 mil grávidas seguidas todos os anos no SNS.

[…] Já no que toca às grávidas, a utilização de cheques parece mais rápida: foram usados 13.880 (7286 primeiros, 4179 segundos e 2415 terceiros). Analisando estes números, Orlando Monteiro da Silva conclui que muito pouco do bolo de 21 milhões de euros alocados ao programa foram efectivamente gastos. […]”

Fonte: Jornal de Notícias, 13/11/2008