Sobre o Isofix

O Isofix é um sistema internacional que providencia o método mais seguro e mais simples para instalar correctamente uma cadeira de criança, sem utilizar o cinto de segurança do automóvel. Oferece uma segurança reforçada tanto no momento da instalação no automóvel, como em caso de colisão.

Vantagens e características:

  • Não precisa do cinto do segurança do automóvel
  • A cadeira é instalada graças aos 3 pontos de fixação específicos
  • Os riscos de erro no momento da instalação são assim reduzidos ao mínimo
  • A presença de indicadores certifica que a cadeira está correctamente instalada
  • Uma maior retenção em caso de colisão porque a cadeira está perfeitamente fixa ao banco do automóvel

Como é que o Isofix funciona?

Simplesmente coloque a sua cadeira Isofix ou base no assento do automóvel e prenda os pontos âncora isofix ao chassis do automóvel. A base Familyfix da Bébé Confort (grupo 0+/1) está também equipada com um pé de apoio frontal que adiciona não só estabilidade à base, como limita a rotação em caso de acidente.

A base Familyfix possui um indicador LED luminoso e sonoro que confirma a correcta instalação no automóvel.

Verifique a lista de automóveis compatíveis (em http://www.bebeconfort.com) para se certificar se a cadeira-auto é compatível com o seu automóvel.

Cores da nova cadeira Grupo 2/3 Ferofix 2011

Ferofix

FeroFix é a nova cadeira-auto com isofix do grupo 2/3. O design espaçoso da cadeira permite uma rápida e fácil instalação. Sempre pronto a viajar.

Instalação IsoFix
• FeroFix com instalação isofix.


• Tecnologia Air Protect revolucionária integrada no apoio de cabeça.


• Novo sistema de guia do cinto de segurança para melhor acesso e de fácil remoção.

 

• Leve, fácil de transferir de um automóvel para o outro.
• Fecho do cinto de segurança fica visivel e de fácil acesso.


• 2 posições de reclinação para um optimo conforto.

 
• Encosto e apoio de cabeça crescem com a criança, em largura e altura.

Ferofix Total Black Ferofix Brown Earth Ferofix Dark Olive Ferofix Deep Blue Ferofix Marble Pink Ferofix Steel GreyFerofix Intense Red Ferofix forra turca

Maxi-Cosi EasyBase 2

Pebble e EasyBase 2 A Maxi-Cosi EasyBase 2 dispõe de um tensor do cinto que assegura uma instalação extremamente segura. Foi aprovada em conformidade com as mais recentes directrizes da ECE R 44/04, a norma europeia para cadeiras auto de segurança, para ser utilizada em conjunto com a cadeirinha CabrioFix ou Pebble, e é adequada para crianças a partir do nascimento até aprox. 12 meses (Grupo 0+: 0 a 13 kg).

A instalação da base faz-se com o cinto de segurança de 3 pontos e só precisa de ser feita uma única vez: a base permanece no automóvel.

Com a EasyBase 2 deixa de ser necessário colocar o de cinto de segurança na própria cadeira para a instalar.

easybase2_cabrioeasybase2_carro92845 Dorel 2010 MC_3 44733

Algumas sugestões importantes:

• Utilize sempre a cadeira auto para bebés, mesmo nas viagens mais curtas, porque é nestas alturas que ocorre a maioria dos acidentes.
• Não utilize a Maxi-Cosi EasyBase 2 num banco equipado com airbag frontal, pode ser extremamente perigoso. Isso não é aplicável nos chamados “airbags laterais”.
• A Maxi-Cosi EasyBase 2 tem sempre de estar presa com o cinto de segurança do carro e o pé de apoio, mesmo quando não está a ser utilizada. Numa paragem brusca, uma Maxi-Cosi EasyBase 2 solta pode causar danos aos seus ocupantes.
• Certifique-se de que a Maxi-Cosi EasyBase 2 não fique presa ou pressionada por bagagens pesadas, bancos reclináveis ou ao fechar portas.

• No verão as partes de plástico e de metal da Maxi-Cosi EasyBase 2 podem ficar muito quentes, por essa razão, cubra sempre a cadeira quando o seu carro estiver estacionado ao sol.
• Certifique-se de que a bagagem e outros objectos (por exemplo, na parte superior do banco traseiro), que possam causar danos durante um acidente, estejam bem presos.
• No caso de viagens mais longas, faça uma pausa para que a criança tenha alguma liberdade de movimentos.
• Nunca deixe a criança sozinha no carro.
E está claro…
• Dê um bom exemplo e utilize sempre o seu cinto de segurança.

ATENÇÃO! A Maxi-Cosi EasyBase 2 só pode ser utilizada em combinação com a CabrioFix ou a Pebble, a qual é reconhecível pela indicação do tipo na forra ou pelos dois eixos de metal na parte inferior do assento.
Em caso de dúvida, entre em contacto com o fabricante.

Cores da Maxi-Cosi Priori XP 2011

Priori XP reclinadaA Maxi-Cosi Priori XP é uma cadeira auto cuja instalação se faz de frente para a estrada.
A Maxi-Cosi Priori XP tem de ser instalada com um cinto de segurança de 3 pontos de fixação, recomendando-se a instalação no banco da retaguarda (ver art.º 55 do código de estrada ).

Características:

  1. Sistema de Protecção Lateral que oferece protecção adicional contra impactos laterais
  2. Ajuste simples da altura do arnês na parte frontal
  3. Tensor do arnês para uma fixação mais firme no automóvel
  4. 4 posições confortáveis: da posição sentada à semi-deitada
  5. Ganchos práticos nas laterais para manter o arnês aberto 
  6. Forra fácil de remover e lavável
  7. Instalação com cinto de segurança de 3 pontos de fixação

Priori XP Brown EarthPriori XP Deep BluePriori XP Intense RedPriori XP Steel Grey

Cores da Maxi-Cosi Priori SPS 2011

A Maxi-Cosi Priori SPS é uma cadeira auto cuja instalação se faz de frente para a estrada.
A Maxi-Cosi Priori SPS tem de ser instalada com um cinto de segurança de 3 pontos de fixação, recomendando-se a instalação no banco da retaguarda (cf. Art.º 55 do código da estrada ).

Características:

  1. Sistema de Protecção Lateral que oferece protecção adicional contra impactos laterais.
  2. Ajuste simples de altura do cinto na parte frontal
  3. 4 posições cómodas, de entre a posição sentada e a deitada
  4. Práticos ganchos que mantém os cintos nas laterais
  5. Capa fácil de remover e pode ser lavada (as capas estão disponíveis em separado)
  6. Instalação com cinto de segurança de 3 pontos de fixação

Priori SPS Stone Priori SPS Enzo Priori SPS Moonlight

Utilização de SRC do tipo banco elevatório em bancos equipados com cintos de 2 pontos de fixação

«Os SRC [Sistemas de Retenção para Crianças] do tipo banco elevatório são normalmente testados e homologados para serem utilizados com cintos de segurança de 3 pontos de fixação, conforme resulta dos respectivos manuais de instruções. Porém, podem os mesmos ser utilizados em lugares equipados com cinto de segurança de 2 pontos de fixação, com o objectivo de posicionar a precinta sub-abdominal sobre as coxas em crianças de estatura mais baixa e desde que as costas do banco à sua frente possam constituir protecção à projecção da criança em caso de colisão frontal. No entanto, esta opção apenas é recomendável nos casos em que não exista a possibilidade prática de os utilizar em lugares equipados com cintos de três pontos de fixação.»

Fonte: “Transporte de Crianças em Automóvel”, Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária

O meu filho tem 3,5 anos e 19 kilos. Tenho de usar uma cadeira Grupo 2/3 (com encosto) ou poderei andar só com o banco elevatório?

A lei estabelece que, no automóvel, as crianças “devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso” ( art. 55.º do Decreto-Lei n.º 44/2005 de 23 de Fevereiro).

Como uma criança com 19 kilos já tem demasiado peso para poder continuar numa cadeira com arnês (Grupo 1), deve ser transportada numa cadeira de apoio (um assento elevatório com costas) até ter 1,5m.

As cadeiras de apoio constituídas por assento elevatório com costas oferecem protecção acrescida em caso de colisões laterais, através do encosto lombar e do apoio para a cabeça. Por isso, é recomendada a utilização da cadeira com encosto, principalmente para crianças com peso compreendido entre os 15 e os 25 kg (aproximadamente dos 3 anos e meio aos 7 anos).

Para além do mais, a guia do cinto que as cadeiras Grupo 2/3 geralmente têm no apoio para a cabeça, ajustam o cinto para uma passagem mais correcta sobre os ombros. (As cadeiras Grupo 2/3 devem, aliás, começar a ser usadas apenas quando a criança tenha um mínimo de 15kg e a altura suficiente para que o cinto fique assente no ombro e não no pescoço).

A recomendação sobre a altura ideal para começar a usar apenas o assento elevatório é fornecida pelos fabricantes de cadeiras Grupo 2/3 no respectivo manual da cadeirinha. Mas, em geral, como atrás referido, a utilização exclusiva do assento elevatório nunca é recomendada antes dos seis / sete anos.

Note-se ainda que a portaria n.º 311-A/2005 do Ministério da Administração Interna classifica as cadeiras Grupo 3 (os “assentos elevatórios”) como sendo “para crianças de peso compreendido entre 22 kg e 36 kg”.

Por outro lado, tal como indica o site da ROSPA (Royal Society for the Prevention of Accidents) dedicado às cadeiras de segurança automóvel, as cadeirinhas que sejam somente Grupo 2 ou Grupo 3 já praticamente não são produzidas; ou pertencem ao Grupo 2/3 ou abarcam o Grupo 1, 2 e 3.

A questão essencial é que numa cadeira Grupo 2/3 as crianças passam a ser tratadas como “pequenos adultos”: deixam de usar uma cadeira instalada no automóvel que as segura através de um arnês e passam a utilizar o cinto de segurança para as segurar a elas e à cadeira em simultâneo. Daí a importância de ajustar correctamente o cinto de segurança.

Alguns dos pontos principais a verificar numa cadeira de Grupo 2/3:

  • O cinto deve estar bem ajustado à criança – não tendo folga;
  • O cinto deve cruzar o peito, assentando no meio do ombro – e não no pescoço (ou sob os ombros!);
  • O cinto inferior não deve pressionar o abdómen – o cinto deve passar por baixo da barriga – e não sobre a mesma.

Transporte de crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura, mas com peso superior a 36 kg.

Tentamos, tanto quanto nos é possível, informar e formar as pessoas no sentido de uma adequada escolha dos artigos de segurança automóvel e de uma correcta utilização dos mesmos. Por isso, procuramos também estar a par da legislação e contribuir para a melhoria da informação disponível.

Aquando da publicação do novo Código da Estrada, em 2005, a Bébé Confort Coimbra expressou imediatamente por escrito as suas dúvidas, à então Direcção Geral de Viação (DGV), quanto a algumas das indicações relacionadas com o transporte de crianças em automóvel.

Uma das questões então levantadas foi a seguinte:

“Devem as crianças com mais de 36kg e menos de 150cm de altura utilizar um SRC? Em caso afirmativo, qual o dispositivo que deve ser usado?

Segundo o artigo 9.º da Portaria n.º 311-A/2005, de 24 de Março, as crianças “que excedam 36kg de peso devem utilizar o cinto de segurança e dispositivo elevatório”. Ora, tal como a própria portaria indica no artigo 7.º, os sistemas de retenção para crianças são classificados em cinco grupos, sendo que o Grupo III se destina a crianças de peso compreendido entre 22kg e 36kg, não existindo, portanto, «sistemas de retenção para crianças» homologados para crianças com mais de 36kg.

Assim sendo, e como os assentos elevatórios do Grupo III são homologados para uma utilização até aos 36kgs, o que se entende por “dispositivos elevatórios”? As crianças com mais de 36kgs, ainda que não tenham 150cm de altura, deverão utilizar somente o cinto de segurança (sem qualquer dispositivo de retenção adicional)?”

Esta questão continua a ser recorrente. Ainda esta semana uma cliente nos fez esta pergunta novamente.

Por este motivo transcrevemos a nota entretanto publicada pela DGV (agora ANSR) num documento sobre transporte de crianças em automóvel:

“O n.º 1 do artigo 55.º do Código da Estrada estabelece que as crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura, transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança, devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso.

Porém, face à regulamentação internacional – Regulamento n.º 44/03 da Comissão Económica para a Europa das Nações Unidas e Directiva n.º 2003/20/CE apenas existem sistemas de retenção homologados até aos 36 kg, (sistemas do Grupo III, para crianças com peso compreendido entre 22 kg e 36 kg).

O Regulamento de Utilização de Acessórios de Segurança, aprovado pela Portaria n.º 311-A/2005, de 24 de Março, prevê no n.º 1 do artigo 9.º que as crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura que excedam 36 kg de peso devem utilizar o cinto de segurança e dispositivo elevatório que permita a utilização do cinto em condições de segurança.

Este dispositivo elevatório não é um SRC nos termos do disposto do no art.º 7.º do citado Regulamento de Utilização de Acessórios de Segurança, não existindo requisitos técnicos para sua aprovação e consequente utilização.

Assim, considerando que existe um número significativo de crianças nas condições descritas e tendo em conta informação técnica existente sobre protecção e segurança das crianças em situação de acidente, podem estas, utilizar um SRC da classe não integral do grupo III.

Nestas situações em que não é possível sentar, no mencionado sistema por este ser pequeno ou estreito, as crianças com mais de 36 kg deverão utilizar apenas o cinto de segurança nas seguintes condições:

– Altura de pelo menos 135 cm – utilização do cinto de segurança. Por razões de maior segurança apenas deverá ser utilizado o cinto de 2 pontos de fixação se não houver cinto de 3 pontos;

– Altura inferior a 135 cm – utilização do cinto de segurança. Caso o cinto seja de 3 pontos de fixação e a precinta diagonal fique sobre o pescoço da criança é preferível, apesar de baixar o nível de protecção, colocar essa precinta atrás das costas e nunca por debaixo do braço, utilizando apenas a precinta subabdominal.”

A importância crucial do uso do cinto de Segurança durante a gravidez

Um novo estudo da Universidade do Michigan vem reforçar a importância do uso do cinto de segurança durante a gravidez.

Segundo Mark D. Pearlman, do Departmento de Obstetrícia e Ginecologia (um dos autores do estudo), dos 370 fetos que morrem anualmente nos E.U.A. em consequência de acidentes de viação, cerca de 200 seriam salvos se as as mulheres usassem sempre cinto de segurança:

“Algumas mulheres têm muito receio porque julgam que o cinto magoará o seu bebé nascituro em caso de acidente. Este estudo mostra que o oposto é verdade, que os cintos de segurança protegem claramente o feto. É muito claro, com base neste estudo, que uma mulher grávida deve colocar o cinto de segurança sempre que está dentro de um automóvel.”

Embora sejam relativos aos E.U.A. este estudo apresenta alguns factos relevantes que devem merecer muita atenção:

  • Cerca de 6 a 7% das mulheres grávidas estão envolvidas num acidente de viação durante o período de gravidez.
  • Há mais mortes de fetos por acidentes rodoviários do que mortes de crianças durante o seu primeiro ano de vida devido a acidentes de viação.
  • O uso adequado de cintos de segurança por todas as mulheres grávidas preveniria aproximadamente 84% de todas as consequências adversas para o feto devido a acidentes de automóvel.

Com base nestes dados, o medo de prejudicar o feto, o desconforto que o cinto provoca ou o puro e simples esquecimento não devem servir de desculpa para não usar o cinto de segurança durante a gravidez. Este deve ser usado do seguinte modo:

  • Use o cinto de segurança na parte inferior do abdómen;
  • Use a precinta diagonal posicionada lateralmente ao útero, entre os peitos.

Se não usava o cinto de segurança habitualmente, use-o pelo seu filho.

Fonte: Esta investigação foi publicada no American Journal of Obstetrics & Gynecology, Vol. 198, Issue 4, April 2008. “Fetal Outcome in Motor-Vehicle Crashes: Effects of Crash Characteristics and Maternal Restraint”