Maternidades de Coimbra defendem a criação de um banco de leite materno na região

«Responsáveis das duas maternidades de Coimbra defendem as vantagens da criação de um banco de leite materno na região, que possibilite alimentar bebés prematuros. […]

A Maternidade Bissaya Barreto (MBB), em Coimbra, já planeou anteriormente um projecto do género, mas este não avançou. "Não foi obtido financiamento e, neste momento, dadas as carências financeiras da instituição e do país, nada está previsto nesse sentido", afirmou à Lusa Fátima Negrão, pediatra de Neonatologia da MBB.
[…] Também Rosa Ramalho, directora do serviço de obstetrícia da Maternidade Daniel de Matos (MDM), defende a criação de um banco de leite materno em Coimbra, alertando, no entanto, para a "logística pesada de funcionamento e até equipamento" que o serviço implicaria. Considera, no entanto, que o banco de leite materno deveria nascer a partir de um projecto nacional "em que se apurasse quantos bancos de leite materno seriam necessários e se avançasse por regiões, em vez de iniciativas isoladas", afirmou. […]»

Fonte: Público, 05-10-2010

Um imperador curioso e uma tempestade eléctrica fundamental

Por vezes o labor do crítico é conduzido com tal apuro que supera em grandeza o próprio objecto criticado. Não sabemos se é este o caso da crítica que abaixo transcrevemos (parcialmente), porque desconhecemos a obra que deu azo a este texto. O que podemos dizer, sem sombra de dúvida, é que estas palavras valem de per si, sintetizando com maestria, em poucos caracteres, descobertas com oito séculos que se reinventam todos os dias. Um mimo!…

«Há cerca de oitocentos anos, o Sacro Império Romano tinha à frente do seu destino o Imperador Frederico II, um homem curioso, com espírito científico e que emprestou o nome a uma Universidade de Nápoles. Se bem que muito ocupado com estratégias e lutas militares e ideológicas, ainda encontrou tempo para se dedicar à investigação científica. Curioso, quis saber que linguagem adquiriria o ser humano se nunca ouvisse falar. Os métodos da investigação foram simples e claros: retirou das famílias uns quantos recém-nascidos e recomendou que se deveria fornecer-lhes apenas o suporte básico da vida: comer, beber e cuidados mínimos de higiene. De resto nada de mais nada. Que aprendeu? Nada do que esperava: as crianças morreram todas. Um crítico da época concluiu que o trabalho do Imperador foi em vão pois ninguém sobrevive sem mimos.

[…] A interacção genes ambiente é dramática, para bem ou para mal. Tecidos e órgãos podem sofrer irremediáveis modificações (o conceito de plasticidade), conduzindo a morbilidade e mortalidade. O neurónio é particularmente plástico. Ao nascer há 100 mil milhões de neurónios e 50 milhões de milhões de sinapses. Depois o número de neurónios pouco aumenta, ao contrário das sinapses que no fim do primeiro mês aumentaram vinte vezes, sendo então mil milhões de milhões. Pura e simplesmente não há genes em número suficiente para controlar tanta evolução que fica, então, à mercê do ambiente que não pode ser tóxico, que deverá ter o melhor suporte energético (leite materno) e assegurar a estimulação mais adequada (o amor de quem é mais crescido). Sempre que se acaricia ou mima de outra qualquer forma um bebé, gera-se uma tempestade eléctrica potenciadora da mais perfeita evolução e aperfeiçoamento neuronais.
O amor é nuclear na relação pais e filhos e deve fluir livremente em ambas as direcções, sem condições nem limites. Da parte da criança é sempre assim, há garantia absoluta. Da parte dos pais nem sempre, ainda que muito raramente, pois aesmagadora maioria ama os filhos e envolve-os em carinho e ternura.»

Fonte: Crítica do pediatra José Manuel Tojal Monteiro ao livro “Seis meses para toda a vida”, de Elisabeth Fodor, María del Carmen García-Castellón e Montserrat Morán. In Acta Pediátrica Portuguesa 2008:39(3):137-8.

Nota: sublinhados nossos.

Dia Mundial do Aleitamento Materno 2008

image

«No âmbito do Dia Mundial do Aleitamento Materno, que se assinala hoje, Rosário Côto [responsável pela comissão de saúde materna e obstetrícia da Ordem dos Enfermeiros] garantiu à Lusa que mesmo com uma oferta cada vez maior de leites artificiais “faz todo o sentido amamentar” para que a mãe transmita diferentes “constituintes (como vitaminas e minerais)” e “dê imunidade” ao bebé.

[…]
Para algumas mulheres, a amamentação pode ser uma prisão. Mas a mulher terá que decidir com informação e apoiada. Porque nos primeiros dias o processo é difícil e muitas desistem por não ter esse apoio“, notou à Lusa.
[…]
Rosário Côto sublinhou que para mostrar a amamentação como um acto natural, as telenovelas também terão que substituir a imagem do biberão pela da mulher a amamentar.»

Na legenda que acompanha o cartaz elaborado pela Ordem dos Enfermeiros para comemorar o Dia Mundial do Aleitamento Materno 2008, pode ler-se: “Aos campeões o melhor alimento… O leite materno”. Com os Jogos Olímpicos de Pequim tão próximos a Ordem dos Enfermeiros sensibiliza as mamãs para os benefícios do aleitamento materno para os medalhistas dos Jogos Olímpicos Portugal/Espanha 2032.

Fontes: Sic Online e Ordem dos Enfermeiros

A higiene durante a extracção do leite




Antes de extrair o seu leite deve lavar as suas mãos e seguir todas as indicações do fabricante para limpar o extractor. Uma boa higiene é imperativa se quiser dar o seu leite ao seu bebé. Todas as partes do extractor e os recipientes de recolha e armazenamento do leite devem ser limpas e desinfectadas antes de utilizar. Se o seu bebé for doente ou prematuro siga à risca as recomendações do hospital.

Dicas úteis para extrair o leite


Há diversas coisas que pode fazer para incentivar a descida do leite e permitir que este flua mais facilmente:

– É mais fácil extrair o leite se estiver relaxada. O stress dificulta a descida e a extracção do leite.

– Procure um local sossegado para extrair o leite.

– Tenha tudo o que necessita ao seu alcance.

– Aplique compressas mornas para o leite sair com maior fluidez.

– Tenha os ombros relaxados, as costas e os braços bem apoiados.

– Para muitas mães é mais fácil extrair o leite na frente do seu bebé ou se olhar para um retrato.

– Tenha uma bebida agradável acessível antes e durante a extracção do leite.

– Descanse tanto quanto possível.

Fonte: Medela, Bacelar

Amamentar gémeos ou triplos

É possível amamentar gémeos ou triplos. A chave para amamentar bebés gémeos ou triplos com sucesso é a mesma que para a mãe que amamenta um bebé: Você necessita compreender os princípios básicos da amamentação, por exemplo os fenómenos da oferta e da procura e da importância de posicionar correctamente o bebé na mama e no mamilo.

O problema mais comum com múltiplos é a quantidade insuficiente de leite. Deve aprender a alimentar ao mesmo tempo os seus bebés. Alimentando os bebés em simultâneo o tempo de amamentação é mais reduzido e eficaz. Peça ajuda e aprenda as posições diferentes que permitem a alimentação de mais do que um bebé.

Extracção manual de leite materno


Para extrair manualmente o leite os movimentos devem ser sempre suaves e não esqueça que a extracção não deve doer.

Caso sinta dor procure a ajuda de um profissional de saúde.

Para promover a saída do leite faça movimentos circulares e deslize os dedos no sentido do mamilo. Se sentir os seios tensos e duros coloque pachos de água quente para ajudar na ejecção do leite. Isto fará dilatar os ductos, permitindo uma maior fluidez do leite.

Coloque a mão na mama conforme a figura e pressione contra ao peito apertando para fazer sair o leite.

Evite fazer este tipo de movimentos:

Fonte: Medela, Bacelar 

O Êxito do Aleitamento Materno

Embora a amamentação seja um acto natural, a técnica é uma habilidade instruída e pode ser necessário tempo e paciência para a mãe e para o bebé.

As seguintes sugestões podem ajudar a evitar alguns problemas durante o período de amamentação. Mas mantenha sempre em mente: Estas sugestões não podem dispensar a ajuda de um profissional de saúde, sempre que surgirem dúvidas ou problemas.

– Posicionar o bebé
– Posição boca / mamilo
– Nutrição
– Controlar o peso do bebé
– Ritmo de amamentação

Posicionar o bebé

Posicionar correctamente o bebé é um elemento chave para uma amamentação bem sucedida. Posicionar o bebé de forma apropriada ajudá-la-á a pegar no mamilo e uma pega correcta permite que o bebé sugue eficazmente e impedindo o surgimento de mamilos gretados e macerados.

A razão principal para os mamilos gretados é a posição incorrecta do bebé no peito! Pode alimentar o seu em diferentes posições.

É importante encontrar uma posição confortável para si e para o bebé. O bebé necessita de acesso livre ao peito. Leve o bebé ao peito e não o peito ao bebé!

Reconhecerá se o seu bebé está bem posicionado quando a garganta está dobrada em linha recta ou ligeiramente para trás e a barriga do bebé contra a sua. A cabeça, o ombro e o corpo do bebé devem estar em linha recta. O bebé deve poder pegar no peito sem ter que se esticar ou torcer.

Posição boca / mamilo

É necessário que o bebé pegue correctamente no peito para evitar danos nos mamilos.

Traga o bebé perto do seu peito e toque-lhe com o mamilo junto da boca. Assim que ele abrir bem a boca, puxe-o rapidamente de encontro ao seio para que o lábio superior e inferior estejam abertos para fora e abarquem a aréola e não apenas o mamilo.

Amamentar ao peito não deve ferir ou causar dor. No início é natural o mamilo ficar um pouco dorido, o que atenua com a continuação de amamentação. No entanto, os mamilos gretados e demasiado macerados não são normais e devem ser vistos por um especialista em aleitamento ou enfermeira assistente.

Nutrição

Embora o período de amamentação seja especial na sua vida, não é necessário comer alimentos especiais e geralmente não é necessário evitar determinados alimentos ou bebidas, à excepção do álcool. Mesmo bebidas com cafeína podem ser consumidas em quantidades limitadas.

Alguns bebés podem reagir quando a mãe come determinados alimentos, mas não significa que seja preciso restringir a dieta. Em todo o caso, observe o seu bebé, você pode evitar esse alimento.

Procure uma dieta equilibrada.

Ainda se tem a ideia de que as mães que amamentam necessitam beber muitos líquidos e bastante leite. Na realidade a mãe deve beber sempre que sente essa necessidade e tal como o faria habitualmente.

Se seguir uma dieta muito especial (por exemplo: macrobiótica ou vegetariana) peça informações precisas de como essa dieta afectará a amamentação e o seu leite.

Controlar o peso do bebé

Muitas mães ficam receosas porque o bebé “não bebe muito leite”. Na maioria dos casos, este medo é infundado. Os profissionais de saúde fornecem algumas dicas que indicam às mães se o seu bebé está a amamentar o suficiente:

– A muda de fralda descartável uma ou duas vezes ao dia, nos primeiros dias, enquanto o bebé mama o colostro.

– A muda de fralda descartável de seis a oito vezes ao dia, a partir do terceiro ou quarto dia.

– O bebé mama frequentemente em média de 6 a 10 vezes num período de 24 horas.

– Os sons do engolir do bebé são audíveis.

– O bebé deve ganhar entre os 120 e 210 gramas por semana, após o quarto dia de vida.

– Um bebé alerta e activo, de aparência saudável, boa cor, pele firme e crescimento cefálico normal.

É importante ter em atenção que nem sempre o choro significa fome.

Ritmo de amamentação

É geralmente melhor alimentar o bebé livremente sem horários rígidos. Na maioria, os bebés saudáveis sabem quando necessitam de se alimentar. Alimente o seu bebé tão frequentemente e como quer, mesmo durante a noite. Quando o seu bebé se torna mais velho e mais maduro a frequência com que amamenta vai diminuindo.

A produção de leite materno ajusta-se a pedido do seu bebé.

Fonte: Medela, Bacelar 

Os Benefícios do Aleitamento Materno


Amamentar é das actividades mais naturais e mais benéficas para a mãe e para o bebé. É o melhor contributo que a mães pode dar para garantir o bom desenvolvimento actual e futuro do seu bebé.

Nenhum leite de fórmula pode substituir as propriedades originais do leite materno. Mesmo com todas as vitaminas, minerais e suplemento adicionados a o que é, na realidade, uma fórmula química.

Leite materno é a única nutrição natural, completa e complexa para os bebés, para além de promover uma ligação excepcional entre a mãe e o bebé.

Vantagens para o bebé

O leite materno contém todas as proteínas, gorduras, lactose, vitaminas, ferro, minerais, água e enzimas nas quantidades exactas requeridas para o crescimento e desenvolvimento óptimo do bebé.

Os bebés alimentados com leite materno são mais saudáveis. O leite materno contém as substâncias que impedem que as bactérias prejudiciais cresçam nos intestinos e causem infecções gastrointestinais e diarreias.

Os bebés alimentados com leite materno têm menos otites, menos infecções respiratórias, um menor risco de desenvolver alergias, cancro da infância, diabetes infantil e obesidade.

Têm ainda um menor risco de síndroma de morte súbita.

O leite materno está livre de bactérias e têm propriedades anti-infecciosas.

O leite materno está à temperatura ideal e não necessita de nenhuma preparação. Está disponível sempre que o bebé precisa.

Os bebés alimentados com leite materno têm uma menor probabilidade de desenvolver na idade adulta a diabetes, doenças cardíacas, eczemas, asma e outras alergias.

Promove o desenvolvimento intelectual e visual.

Leite materno é mais do que apenas um alimento, realça a ligação emocional entre a criança e a mãe e fornece o calor, o amor e a afeição.

Vantagens para a mãe

A amamentação ao peito reduz o sangramento do pós-parto e as possibilidades de anemia.

A amamentação ao peito ajuda a mãe a recuperar a sua figura normal.

A amamentação ao peito atrasa o retorno da fertilidade.

Amamentar diminui a probabilidade de: contrair cancro da mama e dos ovários, e osteoporose.

Amamentar ao peito aumenta a auto confiança da mãe e uma maior interacção com o seu bebé.

Está sempre disponível e conserva a energia, o tempo e o dinheiro.

Os bebés amamentados com leite materno são mais saudáveis, o que se traduz num menor absentismo das mães ao trabalho.

Fonte: Medela, Bacelar

Como ultrapassar as dificuldades da amamentação em situações especiais

Amamentar é uma arte, é algo que a mãe e o bebé tem que aprender. Às vezes este processo de aprendizagem pode ser acompanhado de desafios e problemas que têm de ser resolvidos.
Por vezes pode enfrentar situações especiais. Você ou o seu bebé podem ter complicações médicas podendo dificultar um pouco a amamentação. No entanto, não é necessário parar de amamentar. Directa ou indirectamente o seu bebé deve ser alimentado com o leite materno.

Com o bebé

Se seu bebé tiver fenda do palato e / ou lábio leporino, problemas neurológicos ou sofrer de outros problemas médicos, o seu leite será provavelmente a melhor nutrição disponível. São muito poucas as circunstâncias em que um bebé não pode ser alimentado com leite materno. No entanto essas situações são sempre avaliadas pela equipe médica.

Com a mãe

Muitos povos pensam que se uma mãe for doente, não pode amamentar. Mas isto não é totalmente verdade.

Na maioria dos casos é possível encontrar medicação compatível com a amamentação. Se for necessário interromper temporariamente a amamentação é possível recomeçar a amamentar mesmo após uma ruptura.