Dimensões do Zapp Xtra

O Zapp Xtra é leve, é pequeno e reclina. Em conjunto com uma cadeirinha Pebble, ou uma CabrioFix, forma um conjunto de transporte de bebé versátil e funcional.

Dimensões e peso do Zapp Xtra:

medidas zapp xtra

Maridos de grávidas também ganham peso (e bebem mais cerveja)

«Uma pesquisa britânica sugere que homens ganham em média 6,3 kg quando suas parceiras ficam grávidas.

O estudo, realizado pela empresa de marketing britânica Onepoll, descobriu que os homens que ganharam peso durante a gravidez das parceiras geralmente tiveram um aumento de cerca de 5 centímetros em suas cinturas.
Cerca de 25% dos 5 mil entrevistados também afirmaram ter comprado novas roupas, devido ao ganho de peso causado pela paternidade.
Um quinto dos pais pesquisados afirmou que só percebeu que tinha ganhado peso quando suas roupas não serviram mais.

Mas 19% deles afirmaram que seus amigos alertaram que eles estavam mais gordos que antes, geralmente com piadas.

[…] Entre os lanches prediletos dos pesquisados durante a gestação das parceiras estavam pizza, chocolate, batata frita e cerveja.

A pesquisa também concluiu que 25% dos homens consomem mais comida para fazer com que as parceiras grávidas se sintam melhores a respeito do próprio ganho de peso durante a gestação.

“A mulher normal ganha quase 13 kg durante a gravidez, e não é totalmente incomum para ela ter desejos por comidas mais gordurosas. Elas precisam de lanches mais regulares”, afirmou um porta-voz da Onepoll.

“As mulheres são estimuladas a consumir 300 calorias a mais por dia, comendo lanches saudáveis, para garantir que as necessidades nutricionais do bebê sejam atendidas.”

“Então, se os armários da cozinha, de repente, estão cheios de lanches e comida, não é de se admirar que os homens fiquem tentados a comer também”, afirmou o porta-voz.

“O único problema parece ser que os homens estão escolhendo lanches como doces e bolos, e não acho que as mulheres possam ser responsabilizadas pelo fato de os maridos beberem mais cerveja.” […]»

Fonte: BBC, 22/05/2009

31 de Maio Dia Mundial sem Tabaco

cartaz_dia_mundial_sem_tabaco

“Não fume na presença de crianças e grávidas. Todos sabemos que fumar prejudica a saúde, mas com frequência esquecemos que ao fumar em locais fechados estamos a prejudicar a saúde dos outros.”

No âmbito do Dia Mundial Sem Tabaco, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia lançou uma campanha de sensibilização que tem por objectivo alertar para os malefícios do tabaco e da exposição ao fumo passivo.

«A Dra. Ivone Pascoal, Coordenadora da Comissão de Tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) explica que “a principal mensagem desta campanha vai para o tabagismo na gravidez e para o perigo do fumo passivo, uma vez que traz graves consequências de saúde para as crianças e grávidas. Infelizmente, em Portugal as mulheres em idade fértil fumam cada vez mais, o que faz com que nasçam bebés prematuros e com baixo peso.
”A intenção não é culpabilizar a grávida mas reforçar a importância de uma gravidez sem tabaco. A mulher deve ser ajudada a parar de fumar, idealmente antes de engravidar. A cessação tabágica deveria fazer parte da preparação para a gravidez e o tabagismo do pai também não deve ser esquecido”, comenta a especialista.»

Fonte: Sociedade Portuguesa de Tabacologia

Assento Loola 2009 – Ficha Técnica

imagePeso: 3 kg
Largura do assento: 30 cm
Profundidade do assento: 22 cm
Comprimento do assento em posição deitada: 72 cm

Conforto
Assento com capa amovível e lavável.
Assento reversível (virado para os pais/virado para a frente) com um gesto simples (Modulo Clip® System) PATENTE BEBE CONFORT.
Assento inclinável e que se deita ao mesmo tempo (4 posições).

Disponível em 12 padrões

Fonte: www.bebeconfort.com

Um soutien errado pode fazer mal à saúde

«Não chegava o tabaco, o álcool… Agora é a vez da roupa. Um estudo britânico lançou o alerta: um mau soutien pode provocar problemas de saúde como lesões nas costas, indigestão e dores de cabeça. É nestas alturas que uma mulher é mesmo uma vítima da moda.

[…] E para as mulheres que dizem saber o número que usam há duas dicas dos especialistas. Dica número um: o tamanho pode estar errado, tire as medidas certas e certifique-se. Dica número dois: confirme se o tamanho ainda é o mesmo. Não se esqueça de que as leis da gravidade e os excessos que se revelam na nossa pele e corpo também se aplicam ao peito, ou seja, cada caso é um caso mas raramente se mantém o mesmo caso ao longo do tempo. Uma gravidez e uma perda ou aumento de peso são alguns dos factores que têm um repercussão no tamanho do seu soutien. Além disso, o tamanho tem outras variáveis. O país onde compra o soutien ou até a marca podem valer diferenças.

Sinais de alerta
Não vamos propor aqui um guia para escolher um soutien saudável. Até porque uma das dicas mais importantes é mesmo o incontornável “cada caso é um caso”. Mas há alguns sinais de alerta para um mau soutien. As alças estão sempre a cair? Os ombros caem para a frente? O peito abana quando anda, a ponto de continuar a abanar quando já parou? Fica com uma circunferência marcada no corpo quando tira o soutien ou há marcas nos ombros? Há sobras de peito a sair pelos lados e empurradas pelos braços? A tira base do soutien fica situada nas suas costas a um nível superior à linha do peito? Tudo isto são sinais de um soutien “pouco saudável”. […]»

Fonte: Andrea Cunha Freitas, Público, 28-01-2009

O meu filho tem 3,5 anos e 19 kilos. Tenho de usar uma cadeira Grupo 2/3 (com encosto) ou poderei andar só com o banco elevatório?

A lei estabelece que, no automóvel, as crianças “devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso” ( art. 55.º do Decreto-Lei n.º 44/2005 de 23 de Fevereiro).

Como uma criança com 19 kilos já tem demasiado peso para poder continuar numa cadeira com arnês (Grupo 1), deve ser transportada numa cadeira de apoio (um assento elevatório com costas) até ter 1,5m.

As cadeiras de apoio constituídas por assento elevatório com costas oferecem protecção acrescida em caso de colisões laterais, através do encosto lombar e do apoio para a cabeça. Por isso, é recomendada a utilização da cadeira com encosto, principalmente para crianças com peso compreendido entre os 15 e os 25 kg (aproximadamente dos 3 anos e meio aos 7 anos).

Para além do mais, a guia do cinto que as cadeiras Grupo 2/3 geralmente têm no apoio para a cabeça, ajustam o cinto para uma passagem mais correcta sobre os ombros. (As cadeiras Grupo 2/3 devem, aliás, começar a ser usadas apenas quando a criança tenha um mínimo de 15kg e a altura suficiente para que o cinto fique assente no ombro e não no pescoço).

A recomendação sobre a altura ideal para começar a usar apenas o assento elevatório é fornecida pelos fabricantes de cadeiras Grupo 2/3 no respectivo manual da cadeirinha. Mas, em geral, como atrás referido, a utilização exclusiva do assento elevatório nunca é recomendada antes dos seis / sete anos.

Note-se ainda que a portaria n.º 311-A/2005 do Ministério da Administração Interna classifica as cadeiras Grupo 3 (os “assentos elevatórios”) como sendo “para crianças de peso compreendido entre 22 kg e 36 kg”.

Por outro lado, tal como indica o site da ROSPA (Royal Society for the Prevention of Accidents) dedicado às cadeiras de segurança automóvel, as cadeirinhas que sejam somente Grupo 2 ou Grupo 3 já praticamente não são produzidas; ou pertencem ao Grupo 2/3 ou abarcam o Grupo 1, 2 e 3.

A questão essencial é que numa cadeira Grupo 2/3 as crianças passam a ser tratadas como “pequenos adultos”: deixam de usar uma cadeira instalada no automóvel que as segura através de um arnês e passam a utilizar o cinto de segurança para as segurar a elas e à cadeira em simultâneo. Daí a importância de ajustar correctamente o cinto de segurança.

Alguns dos pontos principais a verificar numa cadeira de Grupo 2/3:

  • O cinto deve estar bem ajustado à criança – não tendo folga;
  • O cinto deve cruzar o peito, assentando no meio do ombro – e não no pescoço (ou sob os ombros!);
  • O cinto inferior não deve pressionar o abdómen – o cinto deve passar por baixo da barriga – e não sobre a mesma.

Porquê comprar uma cadeira-auto do grupo 0+/1?

Aos 6 meses, pode acontecer que o seu bebé já esteja grande demais para continuar na alcofa ou na babycoque. Deve, no entanto, continuar a viajar de costas para a estrada até que tenha o peso mínimo de referência de 9 kg (cerca de 1 ano).
É por isso que propomos as cadeiras do grupo 0+/1: permitem continuar a instalar a criança de costas para a estrada até que tenha 9 kg e depois na posição virada para a estrada.

Fonte: Bébé Confort

Características técnicas do carrinho de bebé Mura da Bébé Confort

image CHASSIS MURA:

• Dimensões aberto:
C 95 x L 65 x A 100 à 105 cm
• Dimensões fechado:
Com assento e rodas: A 51 x C 65 x L 86 cm
Com assento e sem rodas: A 23 x C 65 x L 70 cm
• Peso do chassis: 12,5 kg
• Diâmetro das rodas da frente: 250 mm
• Diâmetro das rodas traseiras: 310 mm

ASSENTO MURA:

Peso: 4,5 kg
Largura do assento: 31 cm
Profundidade do assento: 25 cm
Comprimento do assento na posição deitada: 81 cm

image OUTRAS CARACTERÍSTICAS:

  • Inclui Chassis, Assento, Capota de Sol e de Chuva e Cesto.
  • 4 Rodas com pneus insufláveis e fácilmente desmontáveis.
  • Suspensão nas rodas traseiras.
  • Rodas da frente fixas ou giratórias.
  • Assento reversível, de frente para o passeio ou de frente para os pais (enquanto o bebé ainda é pequeno).
  • Assento reclinável em 3 posições.
  • Forra assento amovível e lavável.
  • Arnês de 5 pontos.
  • Compatível com a cadeira de segurança automóvel Créatis (e com a Maxi-Cosi Cabriofix mediante a utilização de um adaptador) e com a alcofa Windoo.