Mãe! – um poema de Almada Negreiros

   Mãe!
   Vem ouvir a minha cabeça contar histórias ricas que ainda não viajei! Traze tinta encarnada para escrever estas coisas! Tinta cor de sangue, sangue verdadeiro, encarnado!
   Mãe! Passa a tua mão pela minha cabeça!
   Eu ainda não fiz viagens e a minha cabeça não se lembra senão de viagens! Eu vou viajar. Tenho sede! Eu prometo saber viajar.

   Quando voltar é para subir os degraus da tua casa, um por um. Eu vou aprender de cor os degraus da nossa casa. Depois venho sentar-me ao teu lado. Tu a coseres e eu a contar-te as minhas viagens, aquelas que eu viajei, tão parecidas com as que não viajei, escritas ambas com as mesmas palavras.

   Mãe! ata as tuas mãos às minhas e dá um nó cego muito apertado! Eu quero ser qualquer coisa da nossa casa. Como a mesa. Eu também quero ter um feitio que sirva exactamente para a nossa casa, como a mesa.

   Mãe! passa a tua mão pela minha cabeça!
   Quando passas a tua mão na minha cabeça é tudo tão verdade!

Poema de Almada Negreiros (1893-1970)

in Rosa do Mundo 2001 Poemas para o Futuro, Assírio & Alvim, pág. 1337.

O humor e a poesia das palavras das crianças

François de Rochebouët criou, no final de Abril, um site francês – Viedemome.fr – onde os jovens pais podem partilhar na internet as pérolas linguísticas dos seus filhos, ou, como as designa o Le Monde, o “humor e a poesia das palavras das crianças”.

Alguns exemplos extraídos do site Viedemome.fr:

Pai: “Quem é o chefe cá em casa?” Héloïse (7 anos): “É o papá! Mas a mamã é que decide.”

Stéfanie (4 anos) está aborrecida e diz à sua mãe grávida: “tu és má e ainda por cima comeste o bebé!”

Marion (2 anos): Regresso a casa depois de vários dias fora. O pai da Marion tinha-a prevenido que ela teria uma surpresa. A Marion recebeu-me, toda contente, e depois perguntou ao seu pai: “Papá, qual é a surpresa?” O pai respondeu, divertido, “a surpresa é a mamã!” Marion, a sorrir: “O que há lá dentro?”

Se tiver “pérolas” dos seus filhos partilhe-as connosco para que as possamos colocar aqui no blog, para que todo o mundo as “escute”.

Envie uma frase dita pelo seu filho que a tenha feito rir, que o tenha surpreendido, que vos tenha tocado, para blog@bebeconfortcoimbra.com. Indique, por favor, a idade com que o bebé/criança a disse e o contexto.

Fonte: Le Monde, 11.05.2009