Concurso Mais vale perder um minuto da vida, do que a vida num minuto

concurso_prevencao_rodoviaria

A fundação da Juventude está a promover o Concurso Nacional “ Mais vale perder um minuto da vida, do que a vida num minuto!”

Esta acção, inserida nos objectivos da Carta Europeia da Segurança Rodoviária, e que conta com os patrocínios da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e do Ministério da Administração Interna, tem como objectivo principal sensibilizar os estudantes de ensino superior para a problemática da Educação e Sinistralidade Rodoviária Portuguesa.

Podem participar neste Concurso Nacional os estudantes a frequentar qualquer curso do ensino superior (Licenciatura, Mestrado e Mestrado Integrado), com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos.

Os trabalhos temáticos devem perspectivar novas abordagens e participar activamente na identificação de saídas possíveis, tendentes a diminuir o número de acidentes rodoviários.

Serão atribuídos três prémios com valores que oscilam entre os € 1.000 e os € 500, bem como um Prémio Inovação no valor de € 2.000 para a proposta com a abordagem e intervenção mais inovadora. O professor coordenador deste último prémio será também reconhecido através de um incentivo de € 250.

A entrega de trabalhos decorre até ao dia 28 de março de 2013, por correio (Rua das Flores, 69, 4050-265 Porto) ou por e-mail: schaves@fjuventude.pt.

Estamos ao dispor, na medida do possível, dos participantes que necessitarem de alguma informação na área da segurança rodoviária para crianças.

Flyer Promocional [download]
Cartaz [download]
Regulamento [download]

Portugal com a melhor taxa anual de redução da mortalidade infantil nas estradas

«Portugal reduziu em 47 por cento o número de mortes na estrada entre 2001 e 2008, colocando-se a três pontos percentuais do “objectivo ambicioso” da União Europeia de diminuir esses valores para metade até 2010.
A observação consta do 3º relatório Pin (Performance Índex) de segurança rodoviária, que esta segunda-feira é divulgado em Bruxelas.

[…] O caso português é indicado como o que tem a melhor taxa anual de redução da mortalidade infantil nas estradas, com 15 por cento. Nos últimos dez anos, cerca de 18.500 crianças até aos 14 anos morreram em colisões rodoviárias.
Contudo, Portugal ainda não conseguiu estar no quadrante mais favorável na comparação entre redução recente de mortos e a comparação total entre 2001 e 2008, assim como na mesma comparação em termos de mortalidade infantil. […]»

Fonte: “Relatório da UE sobre segurança rodoviária – Portugal reduziu em 47 por cento o número de mortes entre 2001 e 2008”, Público, 22/06/2009

Bébé Confort Coimbra participa no evento Volta da Carta Europeia da Segurança Rodoviária 2008

Decorreu a 20 de Junho, em Lisboa, no Auditório da Representação da Comissão Europeia, uma sessão de apresentação da Carta Europeia da Segurança Rodoviária (CESR) e assinatura de compromissos por parte de novas entidades aderentes. O evento foi presidido pelo Ministro da Administração Interna, Rui Pereira e contou com a presença da Bébé Confort Coimbra.

Lançada pela Comissão Europeia há quatro anos, a Carta faz parte do Programa de Acção para a Segurança Rodoviária e tem como ojectivo reduzir para metade o número de mortos nas estradas europeias até 2010. O lema da Carta – “25 mil vidas a salvar” – traduz a ambição deste projecto.

Este evento serviu essencialmente para divulgar a assinatura da Carta por parte de mais 25 entidades portuguesas, entre as quais os Governos Civis de Aveiro, Castelo Branco, Viseu e outros 9 distritos, elevando assim o número de signatários portugueses para 49.

A Bébé Confort Coimbra assinou a Carta em Abril de 2007 a convite da sua coordenadora, Maria Teresa Sanz-Villegas, que esteve presente em Lisboa para apresentar a iniciativa como representante da Comissão Europeia. Esta foi uma boa oportunidade para trocar impressões com a coordenadora da CESR. Foi-lhe exposto o conjunto de actividades já desenvolvidas pela Bébé Confort Coimbra no âmbito do seu compromisso com a CESR e foram discutidas novas acções a empreender no futuro.

Para a coordenadora da Carta a dimensão da Bébé Confort Coimbra (minúscula quando comparada com a dos Governos Civis ou de outras empresas signatárias como a Brisa ou os CTT) não deverá constituir um obstáculo para continuar a apresentar iniciativas originais e inovadoras. Para Maria Teresa Sanz-Villegas, é exactamente a participação de um conjunto heterogéneo de empresas, organismos públicos e entidades da sociedade civil de todos os géneros que constitui uma oportunidade única para agir de forma directa e decisiva para reduzir o número de vítimas de acidentes rodoviários.

Até Junho de 2008, já mais de 1.000 entidades na Europa tinham aderido à Carta.

O que é a Carta Europeia da Segurança Rodoviária

A Carta Europeia da Segurança Rodoviária faz parte do Programa de Acção para a Segurança Rodoviária, lançado pela Comissão Europeia há quatro anos com um objectivo ambicioso: o de reduzir para metade o número de mortes nas estradas europeias até 2010.
A Carta reúne empresas, organismos públicos e entidades da sociedade civil e constitui uma oportunidade única para agir de forma directa e decisiva para reduzir o número de vítimas de acidentes rodoviários, avaliar resultados e trocar ideias e medidas bem sucedidas. Até Junho de 2008, já mais de 1.000 entidades na Europa tinham aderido à Carta. Ao fazê-lo, comprometem-se a dar uma resposta concreta aos problemas de segurança nas estradas com que se confrontam no seu trabalho diário e nas suas vidas.

A Bébé Confort Coimbra é signatária da Carta Europeia de Segurança Rodoviária desde Abril de 2007.

CESR Promove Segurança Rodoviária

Vai ser apresentada no Auditório da Representação da Comissão Europeia em Lisboa a Carta Europeia de Segurança Rodoviária (CESR). O Evento terá lugar amanhã, dia 20 de Junho e contará com a presença de Rui Pereira, ministro da Administração Interna. A Bébé Confort Coimbra também estará presente como um dos primeiros signatários Carta Europeia de Segurança Rodoviária, em Abril de 2007.

«A CESR é um fórum e uma plataforma promovida pela Comissão Europeia, no âmbito do Programa de Acção para a Segurança Rodoviária, que permite aos utilizadores a troca de experiências e de novas ideias sobre segurança rodoviária na Europa. A consciencialização dos cidadãos para a necessidade urgente de reduzir os acidentes rodoviários é o principal objectivo desta iniciativa.

Lançada há quatro anos, a CESR pretende reduzir para metade o número de mortes nas estradas europeias até 2010. Portugal encontra-se em quinto lugar entre os países comunitários que mais reduziram o número de mortes na estrada. De acordo com o comunicado do Ministério da Administração Interna, em 2006 assistiu-se a uma redução de 42 por cento do número de vítimas mortais em relação ao ano de 2001.»*

*Fonte: Portal do Cidadão

Portugal: No rumo certo para estradas mais seguras

A Bébé Confort Coimbra foi convidada para participar numa sessão de apresentação da Carta Europeia da Segurança Rodoviária na Representação da Comissão Europeia em Portugal. A Bébé Confort é signatária da Carta Europeia de Segurança Rodoviária desde Abril de 2007.

Comunicado de imprensa alusivo ao evento:

«A Carta Europeia da Segurança Rodoviária passa agora por Lisboa. A 20 de Junho de 2008, no Auditório da Representação da Comissão Europeia e com a presença de Rui Carlos Pereira, Ministro da Administração Interna, haverá uma sessão para apresentação da Carta e assinatura de compromissos.

Cerca de 100 representantes de empresas, de associações e de organismos públicos portugueses irão participar na sessão, todos motivados pelo mesmo objectivo de reduzir o número de mortes nas estradas. Maria Teresa Sanz-Villegas, a representante da Comissão Europeia e coordenadora da Carta Europeia da Segurança Rodoviária, fará a apresentação desta iniciativa e dos objectivos para os próximos três anos.

Portugal está entre os primeiros cinco países da Europa que reduziram significativamente o número de mortes em acidentes rodoviários desde a publicação em 2001 do Livro Branco da Comissão Europeia sobre a Política Europeia de Transportes. Em 2006 registaram-se menos 800 mortes em acidentes de estrada do que em 2001, o que representa uma redução de 42% do número de vítimas mortais (Fonte: CARE, Base de dados comunitária sobre acidentes rodoviários, Eurostat, publicações nacionais).

Mesmo assim, é necessário dar continuidade aos esforços feitos para aumentar a consciencialização relativa a esta questão vital que afecta cada um de nós dia após dia. A meta da Comissão Europeia é a de salvar 25 mil vidas por ano nas estradas europeias até 2010 e em Portugal, como em qualquer outro país da Europa, cada compromisso conta, venha ele duma empresa, duma associação, duma instituição, duma sociedade ou duma entidade pública, pequenas ou grandes. Cada membro signatário da Carta é encorajado a activamente assumir compromissos novos e criativos a serem concretizados, avaliados e, posteriormente, divulgados no sítio web da Carta.

Desde municípios a clubes de ciclismo, o leque de signatários portugueses é tão diversificado como a gama dos compromissos em acção: associações e instituições portuguesas bem como empresas dos mais variados sectores de actividade já se comprometeram com a Carta. Entre estes estão: a Brisa (o maior operador português de auto-estradas); a Deco (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor); a Equalchance, Consultoria e Formação; os CTT – Correios de Portugal; a Carris (Companhia Carris de Ferro de Lisboa); a Gare (Associação para a Promoção de uma Cultura de Segurança Rodoviária); a Apsi (Associação para a Promoção da Segurança Infantil) e a Anebe (Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas).

A sessão terá lugar no dia 20 de Junho às 15h no Auditório da Representação da Comissão Europeia, Largo Jean Monnet, 1-10º, 1269-068 em Lisboa e seguidamente serão servidos refrescos.»

Fonte: Comunicado de imprensa da ERS Charter.

Águeda, Cidade da Segurança

«A Câmara Municipal de Águeda está a desenvolver um projecto de Educação Rodoviária nas Escolas do 1º Ciclo e Jardins-de-Infância do Concelho. Este projecto, que conta com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da Republica, terminará com o evento Águeda, Cidade da Segurança, a realizar entre 27 e 31 de Maio na zona dos Abadinhos, em Águeda.

Numa primeira fase os alunos tiveram contacto com a problemática da segurança nas estradas através dos seus educadores e de um programa de acções na via pública, com o apoio da GNR, que envolveu uma turma do 4º ano em cada escola, num total de 27 escolas e de quase 500 crianças.

O projecto Águeda, Cidade da Segurança procura fomentar de um modo lúdico, formativo, construtivo e integrado, o conhecimento e a reflexão das crianças e jovens sobre esta área, associando-a às outras vertentes que têm relação com a conduta nas estradas e na via pública em geral.

Durante o evento as crianças passam por diversas actividades, como adquirir a carta de condução, levantar dinheiro de uma entidade bancária, fazer um seguro, saber a mecânica elementar, conhecer as especificidades dos diferentes tipos de veículos, conhecer alguns testes de condição física que podem influenciar a condução, sentir a agressividade que a condução induz e reflectir sobre isso, ter noção de que tudo tem um custo financeiro e outros.

O evento na zona dos Abadinhos será direccionado aos alunos entre as 9:00 e as 17:00 e ao público em geral das 17:00 às 19:00, de terça a sexta, sendo o acesso livre no Sábado, dia 31 de Maio.»

Fonte: Câmara Municipal de Águeda

 

Operação Cadeirinha em Aveiro

«A PSP de Aveiro realizou, durante a manhã de ontem, uma acção de fiscalização que incidiu na verificação da utilização de sistemas de retenção para crianças, junto de cinco estabelecimentos de ensino.
Foram fiscalizadas 150 viaturas e levantados cinco autos de contra-ordenação, dos quais
quatro por falta de sistema de retenção para crianças e um por transposição do traço continuo. Foi ainda apreendido um documento, por não pagamento voluntário de coima.
A operação envolveu agentes dos Programas Especiais, Esquadra de Trânsito e Brigadas de Intervenção Rápida, num total de cerca de 23 elementos.»

Fonte: As Beiras, 13 de Março de 2008

Apesar de todas as campanhas de prevenção, de toda a legislação e da maior sensibilização da sociedade para esta questão, há pais que continuam a não proteger os seus filhos devidamente. A utilização de sistemas de retenção para crianças adequados mais do que uma obrigação legal é uma exigência ética.

Há poucos dias dávamos conta no nosso blog da identificação de uma área do cérebro “que é activada quando os adultos visionam as crianças, criando uma necessidade de as proteger e cuidar”. Esse impulso primordial tem de ser aproveitado do melhor modo possível. Atendendo à perigosidade por demais conhecida das nossas estradas, é triste que muitos pais ainda não protejam convenientemente os seus filhos no automóvel.

Mas nem tudo é mau. Tem-se assistido a uma maior atenção por parte dos pais. Embora seja uma avaliação eminentemente casuística, repare-se que há cerca de um ano, numa operação semelhante em Aveiro, a PSP detectou 12 condutores a transportar crianças em viatura automóvel sem utilizarem o devido sistema de retenção; há seis meses atrás, também junto de cinco estabelecimentos de ensino em Aveiro (junto da Escola de Ensino Básico do Solposto e dos Infantários de Santa Joana, Esgueira, São Bernardo e Aradas), foram levantados cinco autos de contra-ordenação por falta de uso de sistema de retenção para crianças. Ontem foram apenas quatro…

Daqui parece deduzir-se que a fiscalização tem de de facto uma acção pedagógica ou, dito de outro modo, que a “necessidade de proteger e cuidar” se materializa mais sob o espectro de uma coima de 120 a 600 euros…

Seja como for a tendência parece ser a de uma maior e melhor utilização dos sistemas de retenção para crianças. Pode ser que daqui a alguns anos a PSP já não levante nenhum auto de contra-ordenação por falta de uso de “cadeirinha” nas escolas e infantários de Aveiro (e do resto do país).

Suplemento Segurança Rodoviária do Jornal do Centro

Numa iniciativa louvável o Jornal do Centro publicou uma série de artigos sobre segurança rodoviária na sua edição de 20 de Dezembro.
Apesar de noticiar que 2007 foi um ano com menos acidentes no distrito de Viseu, o jornal não deixa de referir a importância e a obrigatoriedade do uso das “cadeirinhas” e o modo como esta regra continua infelizmente a ser desrespeitada.

clipped from www.jornaldocentro.pt
Actualmente, existem no mercado diversos mecanismos de retenção para crianças. Os cidadãos apenas necessitam de dominar o uso correcto dos mesmos. O que nem sempre acontece. Segundo o Capitão António Gomes da GNR/BT de Viseu, “a nível distrital têm ocorrido alguns acidentes que envolvem crianças e verificamos que as cadeirinhas nem sempre estão bem colocadas”.
Para assegurar a segurança dos recém-nascidos que saem do Hospital de Viseu, o Grupo de Alerta para a Segurança (GAS), tem vindo a desenvolver o projecto, pioneiro, denominado “Alta Segura”. A iniciativa procura sensibilizar os pais para o uso adequado das “cadeirinhas” de transporte.
De referir que uma colisão, a 50 km/h, para uma criança que não esteja devidamente protegida, equivale a uma queda de um terceiro andar. Por isso, os sistemas de retenção devem ser homologados e adaptados ao peso de cada criança. Com o novo Código da Estrada, as crianças até aos 12 anos ou até um 1,50m de altura têm de usar “cadeirinhas”.

  blog it

Transporte de crianças em automóvel – a legislação

O tranporte de crianças encontra-se regulado em Portugal pelo artigo 55.º do Código da Estrada (Decreto-Lei n.º 44/2005 de 23 de Fevereiro). A importância das novas condições de utilização de sistemas de retenção para crianças (até aos 12 anos e com altura inferior a 1,5m) introduzidas por este artigo é referida no próprio preâmbulo do Código da Estrada. Esse destaque é dado por se considerar que a maior e melhor utilização desses equipamentos de segurança irá contribuir para mitigar os efeitos daquela que é uma das principais causas de mortalidade infantil em Portugal – a sinistralidade rodoviária.

Artigo 55.o

 

Transporte de crianças em automóvel

 

1—As crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura, transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança, devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso.

2—O transporte das crianças referidas no número anterior deve ser efectuado no banco da retaguarda, salvo nas seguintes situações:

a) Se a criança tiver idade inferior a 3 anos e o transporte se fizer utilizando sistema de retenção virado para a retaguarda, não podendo, neste caso, estar activada a almofada de ar frontal no lugar do passageiro;

b) Se a criança tiver idade igual ou superior a 3 anos e o automóvel não dispuser de cintos de segurança no banco da retaguarda, ou não dispuser deste banco.

3—Nos automóveis que não estejam equipados com cintos de segurança é proibido o transporte de crianças de idade inferior a 3 anos.

4—Nos automóveis destinados ao transporte público de passageiros podem ser transportadas crianças sem observância do disposto nos números anteriores, desde que não o sejam nos bancos da frente.

5—Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de EURO 120 a EURO 600 por cada criança transportada indevidamente.

Clicar