Sem cinto?… Sinto muito.

O blog da BEBE CONFORT COIMBRA

"

O que regula a lei sobre o uso de Ristemas de Retenção para Crianças na União Europeia?

3 Junho 2008 32 Respostas

Nova lei europeia
O uso de cintos de segurança e sistemas de protecção infantil certificados para todas as crianças com uma altura de até 1,35 metro (ou 1,50 em Portugal), tanto nos bancos dianteiros como traseiros dos automóveis, é obrigatório desde o dia 1 de Março de 2006. Esta obrigação encontra-se em vigor em todos os estados membros da União Europeia. As cadeiras auto ou assentos elevatórios que possuem uma etiqueta de certificação ECE R44/04 cumprem com os requisitos mínimos de segurança.

As regras são as seguintes:

Idade

Com cinto de segurança

Sem cinto de segurança

Menos de três anos Cadeira auto obrigatória, embora proibida em bancos com airbag frontal. Se o transporte da criança se fizer utilizando um sistema de retenção virado para a retaguarda, é obrigatório desactivar o airbag frontal, no lugar do passageiro. É proibido o transporte de crianças de idade inferior a 3 anos em automóveis que não estejam equipados com cintos de segurança.
Igual ou superior a 3 anos Cadeira auto obrigatória. Se a criança tiver idade igual ou superior a 3 anos, só é permitido o transporte da mesma no banco dianteiro de passageiros, apenas se o automóvel não dispuser de cintos de segurança no banco da retaguarda ou não dispuser deste banco. Não é permitido transportar uma criança no automóvel.
Menos de 12 anos e 1,50 m Uso obrigatório de cinto de segurança. As crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 1,50 m de altura transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança devem ser seguras por um sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso Não é permitido transportar uma criança no automóvel

Fonte: Maxi-Cosi

Clicar

Partilhar este artigo...

Temas:   · · ·

Porquê comprar uma cadeira-auto babycoque com base?

21 Março 2008 Sem notas por parte dos leitores

“A base aumenta a segurança e a facilidade de instalação da babycoque no carro. Uma vez fixa na base, a babycoque está sempre bem posicionada. Com um gesto simples, ajusta o cinto de segurança e pode viajar em segurança.”

Fonte: Bébé Confort

Temas:   · ·

Operação Cadeirinha em Aveiro

13 Março 2008 1 leitor deixou uma nota

«A PSP de Aveiro realizou, durante a manhã de ontem, uma acção de fiscalização que incidiu na verificação da utilização de sistemas de retenção para crianças, junto de cinco estabelecimentos de ensino.
Foram fiscalizadas 150 viaturas e levantados cinco autos de contra-ordenação, dos quais
quatro por falta de sistema de retenção para crianças e um por transposição do traço continuo. Foi ainda apreendido um documento, por não pagamento voluntário de coima.
A operação envolveu agentes dos Programas Especiais, Esquadra de Trânsito e Brigadas de Intervenção Rápida, num total de cerca de 23 elementos.»

Fonte: As Beiras, 13 de Março de 2008

Apesar de todas as campanhas de prevenção, de toda a legislação e da maior sensibilização da sociedade para esta questão, há pais que continuam a não proteger os seus filhos devidamente. A utilização de sistemas de retenção para crianças adequados mais do que uma obrigação legal é uma exigência ética.

Há poucos dias dávamos conta no nosso blog da identificação de uma área do cérebro “que é activada quando os adultos visionam as crianças, criando uma necessidade de as proteger e cuidar”. Esse impulso primordial tem de ser aproveitado do melhor modo possível. Atendendo à perigosidade por demais conhecida das nossas estradas, é triste que muitos pais ainda não protejam convenientemente os seus filhos no automóvel.

Mas nem tudo é mau. Tem-se assistido a uma maior atenção por parte dos pais. Embora seja uma avaliação eminentemente casuística, repare-se que há cerca de um ano, numa operação semelhante em Aveiro, a PSP detectou 12 condutores a transportar crianças em viatura automóvel sem utilizarem o devido sistema de retenção; há seis meses atrás, também junto de cinco estabelecimentos de ensino em Aveiro (junto da Escola de Ensino Básico do Solposto e dos Infantários de Santa Joana, Esgueira, São Bernardo e Aradas), foram levantados cinco autos de contra-ordenação por falta de uso de sistema de retenção para crianças. Ontem foram apenas quatro…

Daqui parece deduzir-se que a fiscalização tem de de facto uma acção pedagógica ou, dito de outro modo, que a “necessidade de proteger e cuidar” se materializa mais sob o espectro de uma coima de 120 a 600 euros…

Seja como for a tendência parece ser a de uma maior e melhor utilização dos sistemas de retenção para crianças. Pode ser que daqui a alguns anos a PSP já não levante nenhum auto de contra-ordenação por falta de uso de “cadeirinha” nas escolas e infantários de Aveiro (e do resto do país).

Temas:   · · ·

Suplemento Segurança Rodoviária do Jornal do Centro

29 Dezembro 2007 1 leitor deixou uma nota

Numa iniciativa louvável o Jornal do Centro publicou uma série de artigos sobre segurança rodoviária na sua edição de 20 de Dezembro.
Apesar de noticiar que 2007 foi um ano com menos acidentes no distrito de Viseu, o jornal não deixa de referir a importância e a obrigatoriedade do uso das “cadeirinhas” e o modo como esta regra continua infelizmente a ser desrespeitada.

clipped from www.jornaldocentro.pt
Actualmente, existem no mercado diversos mecanismos de retenção para crianças. Os cidadãos apenas necessitam de dominar o uso correcto dos mesmos. O que nem sempre acontece. Segundo o Capitão António Gomes da GNR/BT de Viseu, “a nível distrital têm ocorrido alguns acidentes que envolvem crianças e verificamos que as cadeirinhas nem sempre estão bem colocadas”.
Para assegurar a segurança dos recém-nascidos que saem do Hospital de Viseu, o Grupo de Alerta para a Segurança (GAS), tem vindo a desenvolver o projecto, pioneiro, denominado “Alta Segura”. A iniciativa procura sensibilizar os pais para o uso adequado das “cadeirinhas” de transporte.
De referir que uma colisão, a 50 km/h, para uma criança que não esteja devidamente protegida, equivale a uma queda de um terceiro andar. Por isso, os sistemas de retenção devem ser homologados e adaptados ao peso de cada criança. Com o novo Código da Estrada, as crianças até aos 12 anos ou até um 1,50m de altura têm de usar “cadeirinhas”.

  blog it

Temas:   ·

Transporte de crianças em automóvel – a legislação

20 Dezembro 2007 202 Respostas

O tranporte de crianças encontra-se regulado em Portugal pelo artigo 55.º do Código da Estrada (Decreto-Lei n.º 44/2005 de 23 de Fevereiro). A importância das novas condições de utilização de sistemas de retenção para crianças (até aos 12 anos e com altura inferior a 1,5m) introduzidas por este artigo é referida no próprio preâmbulo do Código da Estrada. Esse destaque é dado por se considerar que a maior e melhor utilização desses equipamentos de segurança irá contribuir para mitigar os efeitos daquela que é uma das principais causas de mortalidade infantil em Portugal – a sinistralidade rodoviária.

Artigo 55.o

 

Transporte de crianças em automóvel

 

1—As crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura, transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança, devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso.

2—O transporte das crianças referidas no número anterior deve ser efectuado no banco da retaguarda, salvo nas seguintes situações:

a) Se a criança tiver idade inferior a 3 anos e o transporte se fizer utilizando sistema de retenção virado para a retaguarda, não podendo, neste caso, estar activada a almofada de ar frontal no lugar do passageiro;

b) Se a criança tiver idade igual ou superior a 3 anos e o automóvel não dispuser de cintos de segurança no banco da retaguarda, ou não dispuser deste banco.

3—Nos automóveis que não estejam equipados com cintos de segurança é proibido o transporte de crianças de idade inferior a 3 anos.

4—Nos automóveis destinados ao transporte público de passageiros podem ser transportadas crianças sem observância do disposto nos números anteriores, desde que não o sejam nos bancos da frente.

5—Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de EURO 120 a EURO 600 por cada criança transportada indevidamente.

Clicar

Temas:   · ·

Prémio para Jardim de Infância

4 Junho 2007 3 Respostas

A iniciativa que a Bébé Confort Coimbra empreendeu no âmbito da Primeira Semana Mundial das Nações Unidas para a Segurança Rodoviária culminou esta Segunda-feira com a entrega do prémio ao melhor projecto.

Durante uma semana cerca de 150 crianças de vários jardins de infância de Coimbra tiveram sessões sobre prevenção rodoviária. Através da iniciativa “Alerta Global – Vídeos de Segurança Rodoviária de Todo o Mundo” foram mostrados diversos vídeos educativos e campanhas de segurança rodoviária.

As crianças que participaram dos jardins de infância “O Caracol”, “A Casa da Avó”, “O Ninho”, “Infantário da Maternidade Bissaya Barreto” e ”Centro da Sagrada Família”, expuseram os conhecimentos adquiridos, de modo criativo, através de desenhos alusivos ao tema “segurança rodoviária”. Cada jardim de infância elaborou um dossier com os trabalhos dos meninos e os principais conceitos tratados. Os desenhos revelam a atenção dos meninos e as suas principais preocupações: semáforos, passadeiras, cintos de segurança e cadeirinhas.

A Bébé Confort Coimbra premiou o trabalho realizado pela Sala dos 5 anos do Jardim de Infância “O Caracol”, da Casa do Pessoal dos HUC, com um cheque-prenda de € 250,00. Todos os meninos que participaram nesta iniciativa fizeram trabalhos excelentes mas os deste jardim de infância destacaram-se, beneficiando, sem dúvida, do facto de “O Caracol” ter escolhido a prevenção rodoviária como tema principal para este ano lectivo.

Temas:   · ·

As Beiras 02/05/2007

3 Maio 2007 Sem notas por parte dos leitores

As Beiras 02/05/2007 (pág. 7) As Beiras 02/05/2007 (pág. 6)

Reportagem sobre as iniciativas realizadas no âmbito do evento “Alerta Global – Vídeos de Segurança Rodoviária de Todo o Mundo”.

Uma excelente reportagem de Rosette Marques, com fotografias de Gonçalo Manuel Martins, publicada no suplemento “Escolas” do Diário As Beiras em 02/05/2007.

Temas:   · ·

Idi Amin e a segurança rodoviária

1 Maio 2007 Sem notas por parte dos leitores

“[…] Seja como for, é importante levar [Idi] Amin para uma questão sem controvérsia.”

“Tipo o quê?”, perguntei eu, enquanto o Lago Vitória expandia a sua cor de esmeralda à nossa direita.

“Cintos de segurança é uma boa questão”, disse ele, “a importância dos cintos de segurança nas estradas de África.”

Foi assim que eu e Paterson acabámos a discutir a política de segurança rodoviária com Idi Amin no jardim da Cidade do Cabo.

[…] e de repente a voz estrondosa de Amin trouxe-me de volta à realidade. […]

“Como sabe, é bem verdade. A Escócia e o Uganda, ambos sofremos centenas de anos de imperialismo inglês. É por esse motivo que conto alargar a Guerra Económica aos interesses britânicos no Uganda. O que é que pensa disso?”

Paterson, no entanto, foi fiel à sua estratégia. “Excelência, como médico eu gostaria de falar sobre os acidentes de viação no Uganda. Creio que seria possível salvar muitas vidas.”

Nessa altura, Amin pousou a sandes de pepino, já meio comida, e levantou-se para se dirigir à assistência. Um gesto ao qual me habituei.

“Não haverá acidentes no novo Uganda. Já está tudo planeado. […] Este continente tem as suas próprias leis.”

“Mas, Sr. Presidente”, apelou Paterson, “a mais importante lei a ser implementada é a de tornar obrigatório o uso dos cintos de segurança no Uganda. Dessa forma, muitas vidas serão salvas.”

Uma onda percorreu a sobrancelha de Amin. “Por que é que insiste nos cintos de segurança? Cada vez que me encontro consigo, Dr. Paterson, você fala-me de cintos de segurança. No Uganda, há problemas mais prementes do que os cintos de segurança.”

Levantou-se da mesa, batendo nela com os joelhos e deixando nos copos o chá gelado a balançar. “É hora de se irem embora. Fiquei irritado com esta conversa dos cintos de segurança.”

[…] “Talvez”, dizia Paterson, no regresso, “os cintos de segurança não tenham sido lá muito boa ideia.”

Giles Foden, “O Último Rei da Escócia” [pp.188-191]. Vila Nova de Famalicão: Editorial Magnólia, 2007

Temas:   ·

Diário de Coimbra 29/04/2007

1 Maio 2007 Sem notas por parte dos leitores

Notícia no DC 29/04/2007

Notí­cia sobre o evento “Alerta Global – Ví­deos de Segurança Rodoviária de Todo o Mundo” publicada no Diário de Coimbra de 29/04/2007.

Temas:   · ·

Diário de Coimbra 27/04/2007

28 Abril 2007 Sem notas por parte dos leitores

DC 29/04/2007

Notí­cia sobre o evento “Alerta Global – Vídeos de Segurança Rodoviária de Todo o Mundo” publicada no Diário de Coimbra de 27/04/2007.

Temas:   · ·