A cafeína durante a gravidez

 

Uma mulher grávida deve evitar tomar café, pelo menos durante os primeiros três a quatro meses da gravidez. Quem o diz é De-Kun Li, o responsável por uma equipa que estudou um universo de 1063 grávidas entre 1996 e 1998.

De acordo com este estudo, as grávidas que consumam 200 miligramas de cafeína, ou mais, por dia – duas chávenas de café, aproximadamente – poderão duplicar o risco de aborto em relação a grávidas que se abstenham de consumir cafeína (através de bebidas tais como o café, o chá, as colas ou o chocolate quente).

Este novo estudo sobre os efeitos da cafeína na gravidez será publicado na próxima edição do American Journal of Obstetrics and Gynecology. Vários outros estudos tem sido realizados ao longo dos anos mas, até agora, não há um consenso definitivo sobre esta matéria entre os médicos.

Instada a comentar os resultados desta investigação, pelo New York Times, a Dr.ª Carolyn Westhoff, uma professora de obstetrícia, ginecologia e epidemiologia da Columbia University Medical Center, foi contudente: “A moderação em todas as coisas ainda é uma excelente regra geral. Julgo que tendemos a entusiasmar-nos em demasia ao dizermos não exponha o seu corpo a nada enquanto estiver grávida. A raça humana não teria perdurado se o período inicial da gravidez fosse tão vulnerável a um bocadinho de tudo. Somos mais robustos do que isso.”

De facto na obra de referência “Drugs in Pregnancy and Lactation” (edição de 2005), por exemplo, sustenta-se que “o consumo de cafeína durante a gravidez em quantidades moderadas não constitui aparentemente um risco mensurável para o feto”.

O Dr. Li, por sua vez, é peremptório na sua advertência para a redução ao máximo da cafeína durante a fase inicial da gravidez. Segundo o Dr. Li “Se, por qualquer motivo, as mulheres não o consigam fazer [abster-se completamente de ingerir cafeína], pensem em reduzir para uma chávena ou mudar para descafeinado.”

Como sempre, o melhor é falar com o seu médico e decidir em consciência – com ciência, com prudência e com liberdade.