Nascer em berço de ouro – Nomes de Bebés com Medalhas Olímpicas

O que se segue é um pequeno contributo do blog da Bébé Confort Coimbra para aquilo que se convencionou chamar no mundo editorial a “silly season” – uma época estival caracterizada por notícias que não aquecem nem arrefecem.

Segundo Homer Adkins “a investigação fundamental é como disparar uma seta para o ar e, onde esta aterrar, pintar um alvo…” Decidimos também nós fazer uma investigação profunda da relação entre os nomes dos atletas portugueses e a capacidade de alcançarem as tão desejadas medalhas olímpicas. Em resumo poder-se-ia dizer que esta análise rigorosa é um cruzamento ousado entre a antroponímia, a medalhística e o olimpismo…

A questão essencial a responder é a de saber qual será o nome mais medalhável. Munidos dos nomes dos atletas portugueses que já ganharam medalhas olímpicas fazemos uma projecção para o futuro e ajudamos os pais a escolher nomes para bebé que já tiveram medalhas. O fundamento da projecção é a hipótese do aforismo “a história repete-se” se repetir de facto.

Assim sendo, constatamos que os dois nomes com mais hipóteses de ganhar medalhas são José e Luís (três medalhas olímpicas cada um). A seguir, com duas medalhas cada, temos Nuno, António, Francisco, Fernando e Mário. Curiosamente nem João, nem Carlos conseguiram ter mais do que uma medalha olímpica, embora que a do Carlos fosse de ouro!

Se se tratar de uma menina as opções são mais restritas – Rosa, Fernanda ou Vanessa. Mas as probabilidade de ganhar uma medalha de ouro (Rosa e Fernanda) ou de prata (Vanessa) são maiores. Aparentemente para as mulheres portuguesas – bronze só na praia.

Portanto, se o seu alvo é ter um filho com uma medalha olímpica daqui a vinte, vinte e quatro ou vinte e oito anos, baptize-o José ou Luís. Se se tratar de uma menina, o nosso estudo indica duas opções a tomar: ou a baptiza Rosa, Fernanda ou Vanessa, ou então escolhe um outro nome, pois até ao momento nenhum nome se repetiu.

Quanto às modalidades que o seu filho deverá praticar não há muitas dúvidas: ponha o seu filho a correr o mais cedo possível! O atletismo já trouxe oito medalhas para Portugal. Se viver na costa a vela também é uma boa hipótese (quatro medalhas), ou não fosse Portugal um país de navegadores. A equitação leva o bronze com apenas três medalhas. Outras modalidades como o tiro, por exemplo, só tiveram uma medalha.

Depois de termos pintado o alvo e termos atirado as setas para o ar, só nos resta desejar-vos boa sorte!

Os bebés não devem consumir mel

«As crianças com menos de um ano não devem consumir mel, segundo um alerta emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), do Brasil, na sequência da detecção da bactéria «Clostridium botulinium» no produto, que causa o botulismo intestinal.

Investigadores da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) analisaram, em 2002 e 2003, 100 amostras de mel em feiras livres, mercados e quiosques de seis estados brasileiros. Os resultados demonstraram que a bactéria estava presente em 7% das amostras.

Adriana Valim Ferreira Ragazani, uma das autoras da investigação, afirma que a flora intestinal das crianças até aos dois anos não está totalmente formada, o que permite o alojamento da bactéria no sistema digestivo, causando a doença.

Maria Cecília Martins Brito, da ANVISA, diz que não há motivo para pânico, mas «é motivo para cuidado. A recomendação tem um carácter preventivo.»

Fonte: Diário Digital