Banco Público de Células do Cordão Umbilical

“O futuro Banco Público de Células do Cordão Umbilical assentará na dádiva e vai funcionar num sistema universal, em que todos poderão recorrer às células estaminais armazenadas, apurou a Renascença.[…] Ouvido pela Renascença, o Professor Agostinho Almeida Santos, especialista em genética, espera que impere o altruísmo entre os portugueses, para o que banco público possa ter sucesso.O antigo director dos Hospitais da Universidade de Coimbra explica que, ao contrário dos privados, os bancos públicos não garantem exclusividade no uso das células estaminais, que podem ser doadas a outra criança que precise para tratar uma doença.”Fonte: Rádio Renascença, 15-01-2009