Materiais que respeitam o bem-estar das crianças – o exemplo do Cleancool na Axiss

image A Bébé Confort tem como ponto de honra oferecer confecções cada vez mais macias e acolchoadas nos pontos em contacto com a criança (cabeça, costas, bacia).

Um bom exemplo é um novo material, Cleancool®, acrescentado nos pontos estratégicos (cabeça e costas) da cadeira Axiss.

Este novo material respirante, é até 25 vezes mais absorvente do que um tecido clássico e tão macio como o peluche preferido do bebé!image

Fonte: Bébé Confort

Mais nascimentos na maternidade do Hospital de Aveiro em 2008

«1805 crianças nasceram no hospital de Aveiro em 2008, o segundo melhor resultado desta década, durante a qual a maternidade, em alguns anos, esteve pouco acima do número mínimo recomendado (1500) para estar aberta.

O número de nascimentos na maternidade do Hospital de Aveiro no ano passado foi o mais elevado desde 2001. Em 2008, nasceram 1805 crianças, mais 166 do que em 2007, um aumento de cerca de 10%, que os responsáveis justificam com as melhores instalações do serviço, nomeadamente do bloco de partos, inaugurado em meados de 2007.

“O aumento de senhoras que procuram a maternidade de Aveiro está directamente relacionado com a melhoria das condições logísticas, especialmente do bloco de partos”, explica, ao Jornal de Notícias, o director do serviço de Obstetrícia, Sérgio Esperança. […]»

Pode ler o resto do artigo no Jornal de Notícias de 28-02-2009

Artigo 13.º – Aplicação das licenças parental inicial e por adopção a situações em curso

Artigo 13.º 

Aplicação das licenças parental inicial e por adopção a situações em curso

1 — As licenças previstas nas alíneas a), b) e c) do artigo 39.º e no artigo 44.º são aplicáveis aos trabalhadores que estejam a gozar licença por maternidade, paternidade e adopção nos termos do artigo 35.º, da alínea c) do n.º 2 do artigo 36.º e do artigo 38.º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 99/2003, de 27 de Agosto, e nos termos do artigo 68.º, do n.º 3 do artigo 69.º e do artigo 71.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho, contando -se, para efeito daquelas licenças, os períodos de gozo de licença já decorridos.

2 — Para efeito do disposto no número anterior, os trabalhadores devem informar os respectivos empregadores de acordo com os procedimentos previstos naqueles artigos, no prazo de 15 dias a contar da entrada em vigor da legislação que regule o regime de protecção social na parentalidade.

Fonte: Diário da República, 1.ª série — N.º 30 — 12 de Fevereiro de 2009

Alguns números da Maternidade de Castelo Branco

«[…] A Maternidade [de Castelo Branco] tem […] mantido um bom desempenho em todos os parâmetros, nalguns casos superior à média nacional. É o caso da taxa de mortalidade e morbidade. “Somos dos hospitais que apesar de todas as condicionantes, regista menos taxa de cesariana, que rondou no ano passado os 26,09 por cento”, completa Gil Ferreira, taxa esta, que segundo o director do Serviço [de Obstetrícia], é mesmo inferior à média da Zona Centro. “Somos também dos hospitais que menos grávidas transferiu para os hospitais centrais”, acrescenta o responsável.

[…] No ano de 2008, o HAL registou 480 partos, número que se tem mantido nos últimos anos, inferior àquele que registava há 10 anos atrás, que chegou registar mais de 700 partos por ano. “Não se pode dizer que esta diminuição se deve só ao facto de a Maternidade de Castelo Branco ser menos procurada. Temos de analisar que o número de partos se tem mantido o mesmo em quase todos os hospitais do País. As famílias optam por ter menos filhos”, analisa Gil Ferreira. […]»

Pode ler o resto da notícia na Gazeta do Interior, 25-02-2009 | Edição: 1054