PONTOS A RECORDAR SOBRE SISTEMAS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS (SRC)

Verifique o peso da criança – o peso é um factor essencial para seleccionar o sistema de retenção (vulgo “ovo”, cadeirinha, etc.) adequado.

 

Verifique as instruções do fabricante da cadeira com cuidado – é importante assegurar-se de que o assento seja apropriado para a criança e que que está devidamente instalado. 

 

Pese a criança regularmente – à media que cresce irá tendo uma noção exacta do seu peso e saberá assim quando deve passar para a cadeira seguinte. Na prática, o tamanho da criança ditará provavelmente quando deve mudar.

 

Não mude as crianças demasiado cedo para o SRC seguinte – como regra geral: uma criança grande estará mais segura num SRC pequeno do que uma criança pequena num SRC grande.*

 

Não tenha em conta apenas o limite de idade máximo impresso na etiqueta do fabricante – algumas crianças podem ficar demasiado grandes para a cadeirinha mais rapidamente do que julga.

 

INFORMAÇÃO IMPORTANTE

Nunca é demais recordar que as cadeiras que se instalam no sentido inverso à marcha não devem ser colocadas no lugar da frente caso aí exista um airbag. A proximidade do SRC ao airbag poderia resultar em ferimentos graves para a criança ou mesmo na sua morte caso o airbag fosse activado.

 

*Fonte: The Automobile Association (http://www.theaa.com)

Conselhos para a compra de uma cadeira-auto segura

cadeiras maxi-cosi num carro

PESO ADEQUADO

Nunca compre uma cadeira auto destinada a “crescer” com o seu filho mas de acordo com o peso da criança. O peso está indicado no certificado de homologação. Por vezes a idade também está indicada mas, uma vez que as crianças podem ter um peso diferente para uma mesma idade, esta só deve servir como referência.

LEVE O SEU AUTOMÓVEL

No momento da compra, leve o seu automóvel e verifique se a cadeira auto pode ser instalada correctamente no mesmo. Peça ao vendedor(a) que lhe explique claramente o modo correcto de instalação e utilização da cadeira auto. É importante que a cadeira-auto seja fixa do modo mais seguro possível no seu veículo.

CUIDADO COM AS CADEIRAS-AUTO EM SEGUNDA MÃO

São muitos os acessórios necessários e que podem ser adquiridos em segunda mão – tanto através da internet como emprestados por amigos ou familiares. Esta pode parecer a solução ideal porque, quando o bebé nasce, há um sem número de objectos que devem ser adquiridos, embora a maioria seja por um período relativamente curto de utilização. Mesmo que lhe pareça uma opção atraente, não deve ser utilizada. Qualquer cadeira-auto usada tem uma história desconhecida. Nunca saberá como esta foi utilizada e se esteve envolvida num acidente. Geralmente não vem acompanhada de instruções, nem costuma estar completa. Da mesma forma, ninguém lhe garante que cumpra a mais recente norma europeia de segurança (ECE R44/04). As vantagens económicas não devem nunca sobrepor-se aos riscos que podem ocorrer ao seu filho.

COMO POSSO TRANSPORTAR O MEU BEBÉ DE FORMA SEGURA?

Infelizmente a segurança, por vezes, deixa muito a desejar. Investigações realizadas demonstram que 70 a 80%* dos automobilistas instalam a cadeira auto de modo errado. Por vezes, esse facto deve-se à instalação inadequada no automóvel ou à colocação no sentido incorrecto. Também se utilizam cadeiras antiquadas ou inadequadas. Isto pode trazer consequências graves para a segurança das crianças.

Fontes: Maxi-Cosi e *The Automobile Association

Ouve-se frequentemente que os bebés não devem permanecer mais do que 2 horas numa cadeira auto. É correcta essa afirmação?

Fala-se e escreve-se sobre este assunto por preocupação com o bebé, e, em suma, significa que não se deve abusar da utilização das cadeiras auto, como por exemplo a Maxi-Cosi CabrioFix. Os bebés não devem permanecer muito tempo, desnecessariamente, na mesma posição. Deve-se dar-lhes a possibilidade de desenvolverem o seu controlo motor e os músculos dos braços, das costas e do pescoço. Este é um conselho que damos, há muitos anos, nos nossos manuais de instruções, como fabricantes da primeira cadeira auto do grupo 0+ para transporte no automóvel.

Não deixe, por comodismo, o bebé durante todo o dia na cadeira auto, dê-lhe a oportunidade de se movimentar e desenvolver-se. Isto também se aplica aos porta-bebés frontais e a todos os outros produtos em que o bebé permanece numa posição fixa. Entretanto, se tiver que fazer uma viagem mais longa de automóvel não se preocupe, recomendamos que faça uma paragem de 2 horas em 2 horas. De qualquer modo, os bebés precisam de se alimentar e mudar as fraldas regularmente.

Fonte: www.maxi-cosi.com

CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS (SRC)

Os sistemas de retenção para crianças são classificados em 5 grupos, sendo que cada grupo corresponde a um intervalo de peso. Apesar de este ser o factor preponderante, aquando da escolha da cadeira mais adequada, devem-se ter também em conta a idade e a altura da criança.

Os sistemas de retenção para crianças encontram-se regulamentados pela portaria n.º 311-A/2005 de 24 de Março do Ministério da Administração Interna e são classificados do seguinte modo:

a) Grupo 0, para crianças de peso inferior a 10 kg;

b) Grupo 0+, para crianças de peso inferior a 13 kg;

c) Grupo I, para crianças de peso compreendido entre 9 kg e 18 kg;

d) Grupo II, para crianças de peso compreendido entre 15 kg e 25 kg;

e) Grupo III, para crianças de peso compreendido entre 22 kg e 36 kg.

OS PONTOS-CHAVE A VERIFICAR (Em Cadeiras de Segurança Automóvel)

O carro tem airbag frontal no lugar do passageiro?

  • Uma criança numa cadeira de costas para a frente do veículo nunca deve ser colocado no lugar da frente de um automóvel que tenha um airbag activo. (Quanto aos airbags laterais, apesar do seu contributo para a protecção das crianças ser dúbio, é consensual que não magoam a criança em caso de impacto.)

A criança circula no lugar mais seguro?

  • O banco da retaguarda é o local mais seguro para transportar uma criança;
  • O meio do banco traseiro é considerado a posição mais segura de todas. Contudo, se nesse lugar houver um apoio de braço, ou qualquer outro objecto destacável, dever-se-á utilizar uma das posições laterais. (Neste caso é preferível que se utilize o lado do passeio.);
  • A criança só pode ser transportada no banco dianteiro se tiver menos de três anos e utilizar um sistema de retenção virado para a retaguarda; ou se tiver mais de três anos e o automóvel não dispuser de cintos no banco de trás, ou caso não tenha sequer este banco. Neste última situação, o banco do automóvel deve ser colocado na posição mais recuada que seja possível.

A criança está voltada na direcção correcta?

  • Os bebés devem circular de costas para a estrada pelo menos até cerca dos 12 meses e até terem pelo menos 9kg.
  • Enquanto o bebé não ultrapassar os limites de peso ou altura permitidos pela cadeira homologada para instalação no sentido inverso à marcha é mais seguro que nela permaneça.
  • Quando mudam para uma cadeira instalada no sentido da marcha os bebés já devem ter mais de 9 kgs e cerca de 1 ano e devem também conseguir sentar-se e manter a cabeça equilibrada.

A cadeira é a mais apropriada?

  • A criança não pode exceder o limite máximo de peso indicado para a cadeira nem o topo da sua da cabeça deve estar mais alto do que o topo da cadeira;
  • As crianças devem manter-se numa cadeira com arnês o máximo de tempo possível;
  • Se a criança já tiver demasiado peso ou se já for muito alta para uma cadeira com arnês deve ser transportada numa cadeira de apoio (um assento elevatório com costas) até ter 1,5m;

A cadeira está correctamente instalada no automóvel?

  • A cadeira tem de estar devidamente segura por um cinto de três pontos;
  • O cinto deve seguir o percurso indicado no manual de instruções e assinalado na cadeira – com pontos azuis quando a cadeira é instalada virada para trás e a vermelho quando se monta virada para a frente;
  • O cinto não deve ter folga e não deve estar torcido.
  • Não se deve conseguir mover a cadeira para nenhum lado (em regra não se deve poder movimentar mais do que 2 cm);
  • As cadeiras que são instaladas no sentido inverso à marcha devem ser colocadas num ângulo de 45 graus (ou seja, não devem estar reclinadas em demasia);
  • A pega de transporte de uma cadeirinha de bebé deve estar recolhida;
  • No caso de se utilizar uma base separada, fia através do cinto de segurança ou do sistema de âncoras ISOFIX, conforme for o caso, deve-se prender com firmeza essa base.
  • Se a cadeira estiver instalada através do sistema ISOFIX todas os indicadores devem estar verdes.

A criança está bem segura pelo arnês?

  • Os cintos (arnês) devem estar ajustados à altura da criança e devem estar ao nível dos ombros;
  • Os cintos têm de passar por cima dos ombros e não devem estar torcidos;
  • O arnês deve estar justo – apenas se deve conseguir passar com um dedo entre o arnês e o corpo da criança.
  • Quando se utiliza um assento elevatório com (ou sem) encosto o cinto de adulto (de três pontos) deve cruzar o peito, assentando no meio do ombro – e não no pescoço – e passar por baixo da barriga – e não sobre a mesma.

A cadeira apresenta sinais de desgaste ou de danos na estrutura interna ou no arnês?

  • Caso já tenha suportado um acidente a cadeira já não deverá estar em condições de absorver mais um impacto;
  • Se for uma cadeira em segunda mão dever-se-á confirmar o seu historial; a sua utilização é desaconselhada.
  • É muito provável que uma cadeira antiga já não cumpra as normas de segurança em vigor. (A cadeira tem de estar homologada de acordo com o Regulamento 44 ECE /UN devendo para tal comportar a respectiva marca de homologação).
  • A estrutura da cadeira não deve apresentar fissuras ou deformação da estrutura (mesmo não sendo aparente isto pode verificar-se).

Pode-se instalar a cadeira com ISOFIX?

  • Se o automóvel estiver equipado com as âncoras do sistema ISOFIX (o novo sistema padrão para prender os dispositivos de retenção infantil ao automóvel) e se a cadeira estiver igualmente preparada, pode-se instalar o dispositivo de retenção sem recorrer aos cintos de segurança.
  • Só se podem utilizar as âncoras indicadas no manual do automóvel e devidamente assinaladas. Não se podem usar quaisquer outros pontos de apoio semelhantes (como, por exemplo, argolas com outros fins que estejam na mala do automóvel).

Alguns dos erros mais comuns em cadeiras:

O cinto está demasiado lasso (tem muita folga);

O arnês não está bem ajustado;

O arnês não está à altura dos ombros da criança;

A criança circula de face para a estrada antes do tempo;

em assentos elevatórios e com cintos de segurança:

A criança é transportada num assento elevatório demasiado cedo;

A criança passa a usar apenas o cinto de segurança de adulto antes do tempo;

O cinto de adulto passa atrás das costas ou está debaixo do braço da criança.

 

Nota: O documento “Cadeiras de Segurança Automóvel: Pontos-chave a verificar” foi escrito (em 15/04/2007) para servir de guia à verificação de sistemas de retenção para crianças na Bébé Confort Coimbra, durante a Primeira Semana Mundial das Nações Unidas para a Segurança Rodoviária. Trata-se de um documento interno mas que poderá ser útil a quem queira examinar a instalação de uma cadeirinha, motivo pelo qual o publicamos no nosso blog. Foi escrito para ser interpretado por pessoas com vasta experiência em inspecção de sistemas de retenção para crianças pelo que poderá não ser facilmente inteligível – em caso de dúvida não hesite em contactar-nos.

Advertência: Trata-se de um documento meramente indicativo e deverá seguir sempre as indicações do manual de instruções da sua cadeirinha e do respectivo fabricante.